quinta-feira, 31 de março de 2011

Fotos Suas


Por tanto tempo ainda conservo guardada
As muitas lembranças e objetos de você
Como algumas fotos por mim um dia tiradas
Em determinados momentos sem você perceber

Olho a foto e parece-me ainda vê-lo, deitado
Semblante sereno, após outra noite de prazer
Onde teu corpo descoberto,apenas deixa revelado
Esse mundo de loucura acontecido entre eu e você

São essas muitas lembranças que tanto me consomem
E que mesmo assim ainda vem me cobrir de louco prazer
Amor feito e vivido por você apenas comigo,no seu ontem
E até hoje sentes a falta desse amor só entre eu e você

Talvez por isso eu as vezes até pense não ser verdadeiro
Esse triste desenlace que entre nós um dia aconteceu
E todos sabiam sermos um do outro o legítimo amor primeiro
Amor esse,que com certeza bem sabes,para nós,... Nunca morreu

E na verdade são por coisas assim que até hoje me apego
Além das imorredouras lembranças que guardo na memória
São partes de um todo, desse nosso inesquecível trajeto
Que juntos fizemos ao escrevermos essa nossa história

quarta-feira, 30 de março de 2011

Aquele Olhar


Aquele olhar misterioso e tão provocador
Perdeu-se pelas caminhadas da vida
Dispersou-se na dor do primeiro amor
Nos braços frios da ilusão perdida

Aquele lascivo olhar que tanto o enlouqueceu
Perdeu-se nas angustiosas noites de saudades
Aos poucos foi se entregando, por fim arrefeceu
E não teve do tempo nem um pouco de piedade

O tempo passou, nos escombros tentou sobreviver
Após ter sucumbido ante seu sombrio esquecimento
Sempre iludida nessa vã e fria esperança,que você
Um dia fosse finalmente tocado pelo arrependimento

Mas tanta coisa se fez,tudo mudou e nada vi acontecer
E aquele olhar dantes radiante,conheceu noites sombrias
Dias,semanas e anos de intenso e desesperado sofrer
Sempre aconchegada as madrugadas tenebrosas e frias

E foi assim, que o meu olhar as vezes inocente
E sempre tão insinuante em muitos outros momentos
Hoje porém,jaz aqui infeliz na opacidade inclemente
Desse seu lúbrico amor que não me sai do pensamento

terça-feira, 29 de março de 2011

Nosso Amor Não Teve Fim


Eu sempre penso no que você me confessou
Quando eu lhe perguntei da sua mulher e de a trair
E foi sem nenhum constrangimento que você me afirmou
"Só a você eu sinto que traio..." E continuou num frenesi

"...Estar com você jamais me fará sentir um infiel
Mas quando estou com ela é só em você que eu penso
Me sinto mal,pois a você estou traindo,então sorvo o fel
E vou percebendo o quanto o meu amor por você é imenso

"...Eu sei que nunca deixarás de ser importante para mim,
Muito embora estejamos assim, dessa forma... Separados,
A nossa história no tempo parou, mas nosso amor nunca terá fim
Mesmo que continuemos desse jeito, cada um para o seu lado".

E são lembranças como essas que vez por outra elas me vêm
Para torturar-me, pois julgo que minhas esperanças são perdidas
Mas me consola só em saber que nesse mundo não existe ninguém
Que possa dizer que mais do que eu tenha sido tão amada e querida

Rádiojornalismo


De ouvir rádio eu realmente nunca gostei
E pelo assunto nunca pensei um dia me interessar
E mesmo sendo para aprender algo, eu até duvidei
Pois não havia jeito de com o rádio me familiarizar

Mas eu tenho como professora a grande Eden Pereira
E a matéria rádiojornalismo passei realmente a estudar
E confesso com certa alegria que pela vez primeira
Ao me envolver no assunto de rádio comecei a gostar

E eis que finalmente eu me vejo interessada e aprendendo
Os ricos segredos dessa matéria, que tanto nos envolve
E falar da professora Eden ou de rádio, vou logo defendendo
E aos poucos o gosto pelo rádio meu intelecto desenvolve

E nessa parceria ainda temos o Jota Maurilio sempre tão paciente
Ele é o técnico que com competência a ela auxilia e nos assiste
E se prestarmos atenção veremos que o rádio é um tema envolvente
E isso é algo que nunca me passou pela cabeça em dizer algum dia

Mas no jornalismo em qualquer veículo são muitas e nuas verdades
Que aos poucos nós vamos com certa curiosidade e zelo desvendando
E acredito que com raras exceções, toda e qualquer prioridade
Será aprender tudo quanto esses professores vêm nos ensinando

segunda-feira, 28 de março de 2011

Sequiosos Lábios



Ontem, mexendo na minha caixa de arcanos
Um papel amarelado me chamou a atenção
Na escrita, o desbotado denunciava os anos
Daquela carta contendo voluptuosa declaração

Nela me confessavas o teu amor ardente
E nas frases o mais belo arroubo sensual
E mesmo distante eu senti teu toque exigente
Como quando me amavas com êxtase triunfal

..."Um beijo ardente em teus sequiosos lábios".
Era assim que a tua lúbrica carta terminava
E ao finalizar senti no corpo o fogo do pálio
E o meu coração enlouquecido de amor palpitava

Quantas vezes senti o delirar em meu pensamento
Ao relembrar nossas intensas noites de amor
E como foi feliz e inesquecível cada momento
E até hoje eu ainda te espero com o mesmo ardor

sexta-feira, 25 de março de 2011

Mundos Desiguais


Ontem, vi algo que despertou minha atenção
Foi quando passei a observar aquelas pessoas
Que iam e vinham, com uma certa sofreguidão
E podia-se perceber que não passavam à toa

Continuei a olhar cada rosto que ia passando
E comecei a pensar até com uma certa razão
Em quantos deles, problemas estariam carregando
Ou até mesmo assustados com o peso da solidão

E talvez ali até tivesse, alguém a sofrer
Provavelmente com uma história bem parecida
Com uma daquelas que um dia eu vivi com você
E que na verdade nunca serão esquecidas

E são tantos mundos desiguais que há
Tantas histórias apenas com lindo começo
Talvez por isso muitos não querem mais amar
Enquanto outros se tornam da vida um tropeço

De repente pareceu-me outras coisas compreender
Pois nem todos têm histórias com triste final
Talvez ninguém se pareça comigo ou com você
Ou então da vida receberam um desfecho triunfal

Falar Em Você




Hoje eu falei um pouco sobre você
E minhas lembranças pareciam reais
Até parecia que era só eu querer
Para viver tudo que ficou para trás

E a minha memória as vezes tão falha
Fala de você de forma real e capaz
E lembrar deixa meu corpo como fornalha
E são nesses momentos que perco minha paz

Lembrar você até que me faz bem
Mas nem sempre tem me deixado feliz
É que os desejos sempre me vêm
Trazendo a tona o que você sempre quis

Ah! se pudesses minha alma contemplar
Talvez nem lhe fizesse tão bem assim
Pois verias que além de tanto lhe amar
Ainda trago comigo uma agonia sem fim

E são nas muitas recordações que percebo
Que delas tiro vida para continuar a viver
Pois só existir me cansa e causa-me medo
De esquecer esse forte desejo de amar você

E assim,da vida perambulo as muitas esquinas
Que a existência me permite vislumbrar
E como em toda cruel e desditosa sina
Vivo amando as lembranças até você voltar

E que me permita por fim o destino
Amá-lo da forma que sempre me quiseste
E poderei fugir desse infeliz desatino
Que um dia no passado me impuseste

No Meu horizonte


Caminhando apressada dobrei a esquina
E sem querer dei um tremendo esbarrão
E como brincadeira da própria sina
Senti o acelerar agoniado do meu coração

Eu quase desfaleci diante da surpresa
Que vi surgir inesperada, à minha frente
Porém para a minha decepçao e tristeza
Pelo seu olhar percebi lhe ser indiferente

Tentei buscá-lo em minhas lembranças
Esperando finalmente ver algo acontecer
Mas eu perdi de vez as minhas esperanças
Quando vi que você parecia não me reconhecer

E ainda ouvi até com uma certa rispidez
Você se desculpando pelo lamentável incidente
Também pude ver quando você com a maior rapidez
Sumia mais uma vez do meu esperançoso horizonte

E percebi o quanto o desespero cruel me afligia
E em desconsolo as lágrimas vieram... E eu chorei
Nisso eu sinto uma patinha, que com alegria
Tocava meu rosto insistente... Então despertei

Na Memória Brincam Soltas


Hoje tentarei fazer algo diferente
Procurando um tema mais ameno
Falando um pouco dessa gente
Talvez até com um suave veneno

E vai me passando então pela cabeça
Tudo que poderei usar como início
Porém antes que algo realmente aconteça
Sinto que será um assunto um pouco difícil

E vão me surgindo as mais variadas ideias
Mas nada que aos meus sentidos apeteça
Ou que me evite alguma provável cefaléia
Ou então que na mesmice não mais permaneça

E eis que me surgem algumas lembranças
Que me chegam aos poucos, sem vacilar
São coisas do meu tempo de criança
Que não me faz rir nem tão pouco chorar

E até penso ouvir vozes e os muitos risos
Que pela minha memória ainda brincam soltas
E de repente... Eu quase que nem acredito
Essas lembranças em outras ficam envoltas

Então percebo que não adianta mesmo insistir
Em querer mudar de qualquer forma o que escrevo
Pois meu pensamento traiçoeiro não vai desistir
De só deixar fluir o que por hora tanto desejo

E são muitos risos e até mesmo comentários
Que nas minhas lembranças vejo reavivar
E quase como um precioso documentário
Nossa convivência de volta e a me perturbar

E vejo que independente do meu querer
Sinto mais uma vez que o tema não vai mudar
Pois continua sendo inútil querer afastar você
Desse rumo que os meus versos conseguem dar

Não adianta eu querer algo transformar
Se faz necessário que o destino também me ajude
Embora eu saiba que em nada vai acrescentar
Se eu própria não conseguir mudar de atitude

Mudar para que? de repente pergunto eu
Se o desejo maior e mais preciso que tenho
É ter de volta esse amor que um dia foi meu
E sem titubear, para exaltá-lo sempre venho

Não há como agir de alguma forma diferente
Se continuas aqui,impregnando todo meu ser
Esse amor louco que aconteceu entre a gente
E que viverá para sempre entre eu e você

E já nem me importo se alguém é ferido
Ao tentar nossos segredos desvendar
Vivemos um amor sem fronteiras, inaudito
Nunca conseguirão de nenhum modo apagar

Essa história que um dia juntos vivemos
Apenas a nós nos cabe os detalhes guardar
Não importando o que um dia nós perdemos
É que tivemos uma forma diferente de amar

E não existe história de amor sem resquícios
De desgostos ou qualquer outro sentimento
Apenas partamos de um único princípio
O nosso amor foi muito mais que deslumbramento

Conversa Informal


Lembrar o que um dia vivemos
Mesmo que numa conversa informal
Me mostra o quanto um dia aprendemos
E que foi de uma forma muito especial

Relembrar o que deixamos de viver
Apenas mostra que nem tudo foi perfeito
Pois tudo que aprendi e vivi com você
E não lembrar tudo isso, não tem jeito

E todas as frases ditas, mesmo sem pensar
Hoje tem um som muito mais especial
Entre nós muito do que houve, foi singular
Mesmo que as vezes fosses um pouco radical

E ainda tenho nos ouvidos aquela revelação
Que nunca deixou dúvidas dos seus sentimentos
E sabemos que entre nós não houve só atração
Era um misto de amor, desejos e encantamentos

Era um amor puro, tão sincero e arrebatador
E que me vias tão sublime, intocável,eminente
E até hoje penso que para mim foi devastador
E por tudo que houve entre nós,há algo pendente

E lembrar o que para nós foi guardado em segredo
Me parece querer atear fogo às cinzas quentes
E não há nada que possa apagar tudo o que foi desejo
E que ainda queima nosso corpo o que guarda nossa mente

quarta-feira, 16 de março de 2011

Nesse Anseio


Quantas vezes que senti um forte desejo
De abandonar a tudo, sem em nada pensar
Mas sempre me surgia um inexplicável medo
E era isso o que conseguia me fazer recuar

Hoje, tanto tempo depois ainda persiste
Uma vontade louca de pra sempre partir
E sem muito esperar, minha alma insiste
E me vejo tentada a nunca querer desistir

E as muitas lágrimas derramadas em nada ajuda
A amenizar essa dor que de doer vive a insistir
E essa dor que até hoje me fere é bem mais aguda
Que toda aquela que eu sempre finjo nunca sentir

E um dia quando acontecer de eu não mais conseguir
Acalentar essa dor que para mim nunca foi bem-vinda
Talvez haja alguém que perceba que dói ter que decidir
Em prol de algo que na verdade para mim nunca finda

E nesse anseio que não passa de um grande desespero
Vejo com o tempo,que estou perdendo minha própria razão
E vou sentindo tomando conta de mim esse miserável medo
Que consegue fechar para a vida o meu desgastado coração

terça-feira, 15 de março de 2011

Na Vã Esperança


A minha vida muito cedo se perdeu
Entre saudades e dores se dividiu
Ainda jovem vi quando o amor esmaeceu
Porém nada disso você sequer sentiu

Aquele brilho em meu olhar se apagou
A solidão discretamente em mim fez morada
E mais uma vez você nada disso notou
Foi então que vi minha vida transformada

Percebi o tempo passando, mas nada mudou
Aos poucos a alegria de mim se fez ausente
E senti que perdia o que julguei ser só amor
E foi aí que por tudo fui ficando indiferente

Hoje, vivendo de sonhos e de bem mais ilusões
Na vã esperança de ver algo por fim acontecer
Quem sabe uma nova e rica explosão de emoções
Emoções estas,que um dia eu pude viver com você

Mas quem sabe num breve dia ainda possa surgir
Essa oportunidade com a qual eu vivo a sonhar
Que é a esperança de poder outra vez sentir
As suas mãos ávidas para novamente me tocar

domingo, 13 de março de 2011

Para Quem A Dor Será Maior?


Amigo, essa nossa dor tem sido bem verdadeira
E eu não sei mesmo para qual de nós ela tem sido pior
Embora a minha tenha se tornado uma má companheira
Eu ainda receio que a tua não seja mesmo a melhor

Eu sei, que a tua dor é tão cruel quanto a minha
Mesmo que a sua as vezes pareça ser um pouco maior
É que a esperança do retorno contigo não caminha
E talvez por isso tenhas sofrido bem mais essa dor

Eu sei em teu caso, já não há mesmo mais esperanças
Pois foi a morte cruel que um dia de ti a roubou
Já em meu peito, há esse anseio por uma bonança
E possivelmente com ela o retorno do meu grande amor

Então eu penso por um breve e questionável momento
Qual de nós dois na verdade pode ter sofrido mais
Pois para ti só há vida através dos teus pensamentos
E em mim, há vida,em cada momento que a lembrança traz

E nem mesmo com o tempo minhas lembranças apagarão
É que elas permanecerão em minha memória eternamente
E em mim, mais intensas elas constantemente se farão
Pois eu sei que não haverá como tirá-las da minha mente

E a cada novo dia uma esperança brota timidamente
Pois felizmente foi para a vida que um dia o perdi
Já a tua esperança, ela se retrai, inexoravelmente
E esse é o teu grande sofrimento, já o pressenti

É meu amigo, nossos sofrimentos são muito iguais
Mesmo havendo uma grande diferença em seu final
No meu caso, o meu amor cresce a cada dia mais
E para ti, qualquer lembrança pode te fazer mal

Mas será no tempo que terás um grande consolador
Enquanto que para mim ele se torna meu cruel algoz
Tuas lembranças ele suavizará, assim como tua dor
Então eu pergunto: A dor será maior para qual de nós?

Para mim,o tempo nem consegue suavizar sofrimentos
Menos ainda quando a minha esperança já se findou
No meu caso ele apenas se torna um grande tormento
Pois ele só faz crescer esse meu desvairado amor

Embora saibamos que toda perca só nos maltrate
A tua com certeza,os anos que passam a suavizará
Para mim,esses anos só aumentarão a minha idade
E esse forte desejo de ver meu sonho se realizar

Até que num breve dia a morte por fim me abrace
E ponha um ponto final nesses meus tristes ais
Aí,levarei comigo apenas esse triste desenlace
Que em vida só me tirou a minha tão sonhada paz

E se um dia eu pressentir o contrário a acontecer
Tenho por certo que não suportarei a tão grande dor
E certamente tudo o que ainda me restará a fazer
Será me enterrar de vez na solidão desse grande amor

Pois como bem podes sentir meu companheiro de dor
Sofremos bem mais quando preparados não se está
Para esquecer o tudo que vivemos nesse conto de amor
Ou então para perdê-lo, quando a morte assim o desejar

quinta-feira, 10 de março de 2011

Meu Amor Por Você


Como se não bastasse do meu corpo o sofrer
Sinto que minha alma também querem açoitar
E isso eu não tenho conseguido compreender
Na verdade é muita maldade pra eu suportar

E o meu destino com requintes de crueldade
Podou o florescer da minha paciente espera
Fingindo não perceber da vidas as desigualdades
Destroçou meus sonhos, e castrou minhas quimeras

E hoje abatida e me sentindo um pouco vencida
Tento enfrentar todos os fantasmas que surgem
E percebo com a alma já quase enlouquecida
Que todos os meus monstros criam vida e rugem

Urram enfurecidos e penso, com uma certa razão
Já que a minha alma não se deixou por nada vencer
Antes, rasgou sem brandura o meu sofrido coração
Deixando-o sangrar, Em nome desse amor por você

E nessa luta que me parece nunca terá um fim
Sinto o meu corpo extenuado querendo esmorecer
Mas decido enfrentar a tudo, pois creio que assim
Terei forças para defender esse meu amor por você

Seu Cansaço


Outra vez meu pranto está a rolar
E sinto a minha alma quase a perecer
É que eu já não o tenho para amar
E dói não poder mais lhe abraçar

E é quando me pergunto em meio à dor
O que posso fazer para lhe esquecer?
Se a razão da minha vida é esse amor
Que calada grito em desespero por você

Eu bem sei que nunca conseguirás imaginar
Que o que mais me prende ainda a essa vida
É apenas essa vontade louca de o encontrar
E com você realizar minhas fantasias atrevidas

E quando isso finalmente puder acontecer
Irás entender como foi difícil para mim
Guardar tanto tempo essa saudade de você
Sem nunca ter conseguido por nela um fim

A não ser que o que tanto desejo aconteça
Que você finalmente volte aos meus braços
E neles se aconchegue e assim permaneça
Adormecendo a sua alma e o seu cansaço

Minha Insensatez


Eu penso que você nunca descobriu
Que a maior dor que se pode ter
É não poder sentir o que já se sentiu
Como o que um dia eu senti com você

Como te sentes viver com a ausência desse amor
Que sabemos, já foi a sua maior razão de viver
Será que já conseguisses superar tamanha dor
Ou finges não mais amar o que não podes mais ter?

Confesso que para mim, tem sido muito difícil viver
Tendo a alma já totalmente encoberta por essa dor
Por essa ausência tão implacável e sofrida de você
Desde o momento que saísses de mim levando seu amor

Ah! quem me dera por um momento poder voltar no tempo
Eu tentaria encontrar uma forma menos sofrida de viver
Nunca iria deixar que dispersasses meu amor ao vento
E teria lutado contra tudo e todos para não perder você

Mas eu sei que apesar de tudo sabes o quanto ainda o amo
E tudo eu faria para tê-lo nem que fosse só mais uma vez
E eu esqueceria completamente o que é na vida dor ou pranto
Se eu sentisse que partilhavas também dessa minha insensatez

sábado, 5 de março de 2011

Para Sempre


Muito me dói ficar relembrando
O que entre nós nunca deixou de existir
E sempre que me pego em você pensando
Vejo que esse amor continua a fluir

Muitas esperanças se perderam na estrada
Muitos sonhos morreram antes de nascer
Mas eu sinto que continuo sendo amada
Pois minha alma continua impregnada de você

E quem amou da forma que você sempre o fez
Não conseguirá desse sentimento se desfazer
E será assim que eu sempre terei a minha vez
Pois bem sabes que na minha vida só há você

Muitos planos se desfizeram como fumaça
E muitas noites mal dormidas também nos uniu
E como num sonho o tempo pra mim não passa
E nossa sina cruel, é que o destino nos puniu

Perdi você para o tempo, mas não para sempre
Pois tenho certeza,a vida um dia ainda nos unirá
E nada receio pois sei que tudo em nossas mentes
Haverá de trabalhar para juntos podermos ficar

Eu Vivo


Hoje eu sei que você não me esqueceu
E o que me dá essa certeza é a sua nostalgia
Me conforta saber que nossa história não morreu
E isso em muito ameniza essa minha agonia

Quantas vezes tivesses no olhar parado
O desfilar da nossa história mal contada
Sei que houve momentos mal interpretados
E nesses momentos,como tola permaneci calada

E poderia ter me rebelado finalmente
Afinal, para alguns, eu era rebelde mesmo
Eu devia ter sido sempre, mais prudente
E talvez não tivesses sucumbido apenas aos desejos

Mas não se deve lamentar por aquilo que passou
Pois tudo já aconteceu e nada podemos desfazer
A não ser que eu convencesse o destino que ele errou
E ele então arrependido, me desse de volta você

E juntos poderíamos finalmente reviver
Tudo o que houve e que para nós permanece vivo
E seria uma loucura poder sentir de novo você
E então eu diria que hoje, não apenas existo

Esperando Você


Foi numa certa manhã que tudo aconteceu
Você se foi depois de uma noite de amor
E eu senti quando o seu amor arrefeceu
E ao partir deixasse para trás apenas dor

Com o tempo então, veio a cruel saudade
E aventurei-me no tempo para tentar
Fugir do destino e de todas as maldades
Que a vida resolveu comigo praticar

E assim, sem motivos para bem viver
Fui buscar em um outro alguém
Razões para esquecer um pouco você
Resolvida a não sofrer por mais ninguém

Mas a saudade cada vez maior
Tirou de mim toda e qualquer esperança
De viver uma vida um pouco melhor
E ter um espírito mergulhado em bonanças


A sede cruel dessa ausência tão doída
Tem me acompanhado pela vida à fora
E nessa angústia cada vez mais crescida
Senti nada poder fazer,tanto ontem quanto agora

E por fim, tudo quanto na vida me restou
Foi sonhar com tudo quanto com você vivi
Sempre lembrando saudosa desse grande amor
Que na verdade por mais ninguém eu senti

Não creio que já tenhas me esquecido
Pois escondes nos refolhos desse negro olhar
Esse amor que foi tão grande e enlouquecido
Pelas suas sedutoras e belas forma de amar

Não... Não dá pra simplesmente querer esquecer
Tudo quanto representou vida em nossas vidas
E nunca deu pra tirar da minha vida você
Mesmo em meio as muitas lutas tão renhidas

Hoje mais do que nunca posso sentir
O gosto amargo dessa saudade,sem esquecer
O maior sentimento que nunca me fez desistir
De continuar amando e esperando apenas você
 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios