sexta-feira, 25 de março de 2011

Na Memória Brincam Soltas


Hoje tentarei fazer algo diferente
Procurando um tema mais ameno
Falando um pouco dessa gente
Talvez até com um suave veneno

E vai me passando então pela cabeça
Tudo que poderei usar como início
Porém antes que algo realmente aconteça
Sinto que será um assunto um pouco difícil

E vão me surgindo as mais variadas ideias
Mas nada que aos meus sentidos apeteça
Ou que me evite alguma provável cefaléia
Ou então que na mesmice não mais permaneça

E eis que me surgem algumas lembranças
Que me chegam aos poucos, sem vacilar
São coisas do meu tempo de criança
Que não me faz rir nem tão pouco chorar

E até penso ouvir vozes e os muitos risos
Que pela minha memória ainda brincam soltas
E de repente... Eu quase que nem acredito
Essas lembranças em outras ficam envoltas

Então percebo que não adianta mesmo insistir
Em querer mudar de qualquer forma o que escrevo
Pois meu pensamento traiçoeiro não vai desistir
De só deixar fluir o que por hora tanto desejo

E são muitos risos e até mesmo comentários
Que nas minhas lembranças vejo reavivar
E quase como um precioso documentário
Nossa convivência de volta e a me perturbar

E vejo que independente do meu querer
Sinto mais uma vez que o tema não vai mudar
Pois continua sendo inútil querer afastar você
Desse rumo que os meus versos conseguem dar

Não adianta eu querer algo transformar
Se faz necessário que o destino também me ajude
Embora eu saiba que em nada vai acrescentar
Se eu própria não conseguir mudar de atitude

Mudar para que? de repente pergunto eu
Se o desejo maior e mais preciso que tenho
É ter de volta esse amor que um dia foi meu
E sem titubear, para exaltá-lo sempre venho

Não há como agir de alguma forma diferente
Se continuas aqui,impregnando todo meu ser
Esse amor louco que aconteceu entre a gente
E que viverá para sempre entre eu e você

E já nem me importo se alguém é ferido
Ao tentar nossos segredos desvendar
Vivemos um amor sem fronteiras, inaudito
Nunca conseguirão de nenhum modo apagar

Essa história que um dia juntos vivemos
Apenas a nós nos cabe os detalhes guardar
Não importando o que um dia nós perdemos
É que tivemos uma forma diferente de amar

E não existe história de amor sem resquícios
De desgostos ou qualquer outro sentimento
Apenas partamos de um único princípio
O nosso amor foi muito mais que deslumbramento

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios