quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Perguntas Sem Respostas


Hoje sinto o peso da tristeza
Que acomodada à minha alma
Parece repousar sem pressa de sair.
As lágrimas que insistem em cair
Em nada aliviam meu sofrimento...
Ao contrário, tendem a torná-lo
Maior e bem mais sofrido.

Não sei por quanto tempo
Conseguirei resistir a tanta dor,
Pois a dor que o tempo implantou
Em meu ser
Parece crescer a cada momento...

Nunca imaginei ver tanto sofrimento
Nascer de um sentimento
Tão bonito e enriquecedor.
Quantas lágrimas mais ainda verei cair
Até que algo aconteça em minha vida
Que possa trazer um pouco de paz
A esse meu tão desgastado interior?

E tudo isso por ter permitido
A sua entrada na minha vida.
Por que o destino me foi tão cruel?
Se não eras para fazer-me feliz
Por que entrasses na minha vida?
Bem sei que são perguntas
Que nunca terei como respondê-las,
Mas terei como suportá-las apara não ver
Um outro final, mais triste e deprimente

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios