quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Nosso Passado


Quantas vezes da vida indaguei
O por que de tanta infelicidade
Se porventura foi eu que falhei
Me perdoa, foi erro da mocidade

Mas se este erro eu não o pratiquei
Mesmo assim tenho sido vítima do carrasco
Entenda apenas que eu nunca brinquei
Apenas deixei-me seduzir por esse pecado

E hoje amargo cada um dos detalhes
De todas as loucuras que foi esse amor
E sei que as vezes... Que serão milhares
Sufocarei no meu peito essa grande dor

E essa dor bem maior sempre será
Por eu saber que dela nada conheces
Mas um dia, por certo, ainda descobrirás
E saberás o quanto a minha alma padece

E espero nesse dia ver algo acontecer
Que ao mergulhares em nosso passado, buscando
Tudo aquilo que num rompante,eu ouvia você
Me confessar... Sempre que estavas me amando

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios