domingo, 2 de abril de 2017

ESTRANHA SENSAÇÃO


O tempo pra mim tem passado tão lentamente
Que muitas vezes chego a pensar que parou
Mas eu logo percebo ser a tristeza, infelizmente
Que sem qualquer piedade no meu mundo aportou

As vezes ouço críticas, quase sempre desagradáveis
Mas ninguém passou na vida pelo que eu já passei
Ninguém teve momentos amargos e tão miseráveis
Nunca procurei culpado, nunca ninguém condenei

Eu até acho estranho tanta dor em mim manifestada
Que por vezes mais parecem látegos a rasgar minha alma
Em tantas ocasiões fui até pelo destino desacreditada
E em raríssimos momentos conservei a minha calma

Tudo me parece efêmero... Na verdade, sempre o é
E me refiro aos raros momentos de verdadeiras alegrias
Pois nada me arranca um riso em meu semblante de mulher
Que não seja encoberto por uma estranha sensação de letargia





Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios