terça-feira, 14 de março de 2017

EU DECIDI


Eu decidi me por pra fora de mim
E o que descobri deixou-me estarrecida
Por tudo analisado não tenho como por fim
A esse meu estado de morbidez vencida

Minha tristeza vai mais além do que pensei
Justo eu, que quando criança vivia a sorrir
Na verdade, porque eu talvez nunca reparei
Nos momentos tristes que eu não sabia existir

Hoje, analisando o tudo que as lembranças trazem
Percebo afinal que na verdade eu sempre fui assim
Os meus mais belos e ternos momentos apenas jazem
No tudo que aos poucos vejo que se esvaem de mim

E durante a minha caminhada sempre tão solitária
Vou buscando o que nem eu mesma sei explicar
Mas por certo a felicidade nunca me será solidária
Pois até hoje, esta, nunca me chegou para ficar

E continuo com essa tristeza tão grande e sofrida
E por mais que eu tente, não a consigo compreender
Talvez, quem sabe? Eu já a traga mesmo de outras vidas
Se isso realmente existir... Já nada consigo compreender

É realmente... Eu tenho uma tristeza imensa e atroz
Que não adianta mesmo contra ela querer lutar
Ela tem sido dessa minha existência o estranho algoz
E tenho a certeza que que ela jamais irá me deixar

E esse é um sentimento mordaz e tão bem entranhado
Que faz da minha alma seu refúgio sem nenhuma razão
Mas olhando para trás eu percebo o grande emaranhado
Que vai asfixiando sem dó meu desgastado coração...

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios