sexta-feira, 3 de outubro de 2014

QUERIA TANTO MEU PAI



Eu hoje queria voltar a ser criança
Não ter nenhum tipo de preocupação
Ter no olhar o brilho da esperança
E na minha alma a mais pura canção

Queria recolher-me nos braços do meu pai
Homem sisudo, mais carinhoso quando preciso
Queria fazê-lo ouvir os meus temidos ais
E sentir o afago num abraço não repreendido

Quisera ter o meu pai todinho pra mim
Poder lhe falar da amargura que trago na alma
E senti-lo calmamente por na minha dor um fim
E senti-lo devolver-me minha tão sonhada calma

Mas não sou mais criança infelizmente
Nem tão pouco tenho meu pai a meu favor
Só me resta lutar contra esse mal, bravamente
Já que até mesmo desse mal não sei qual é a dor

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios