quinta-feira, 9 de outubro de 2014

MEU ATREVIMENTO


O céu de cor plúmbea está a me assustar
Ele prenuncia tempestades em meu viver
E bem sei que não terei forças para lutar
A não ser que o troféu oferecido seja você
Mas receio que isto não mais será possível
O perdi quando eu julgava que eras só meu
Você se foi, após um nosso momento aprazível
Momento esse que com o tempo em você arrefeceu
Hoje, procuro adormecer meus sentimentos
Pois vivê-los acredito que não mais poderei
Mas eu ainda conservo nesse meu atrevimento
A esperança de que este amor ainda viverei
Não importa o tempo que venha a passar
Uma parte de mim ainda lhe espera
Pois a outra parte não deixa de lhe amar
Meu todo o deseja, não apenas em quimera

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios