sábado, 5 de maio de 2012

CHEIA DE DESEJOS





O amanhecer estava um pouco triste
E eu fiquei a me perguntar por que seria? 
Eu sei que à muitas coisas o amor resiste
Menos a inclemência do tempo, sempre fria

 O nosso amor na primeira batalha sucumbiu
Não conseguiu se sobrepor as dificuldades
E em muito pouco tempo de mim você desistiu
Levando consigo minha chance de felicidades

O tempo me parece sempre tão aziago
E nesse desânimo me sinto asfixiando
Trago o corpo, o sorriso e o olhar marcados
Pela tua ausência que está quase me matando

Não consigo fechar os olhos sem que eu te veja
E nas frias madrugadas sempre estou a te sentir
E são nessas horas que minha alma mais te deseja
Sedenta de amor e o corpo, de volúpias a fremir

E nessa ânsia tão cheia de desejos
Ouço os teus sussurros tão cheios de amor
Entreabro os lábios esperando teus beijos
Já sentindo teus toques no meu ninho de amor


Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios