quarta-feira, 27 de julho de 2011

Nas Sobras Da Minha Loucura



Nessa tarde de sons tão saudosos
Apreciando a bucólica paisagem
Sentindo meus cabelos revoltosos
Sendo sacudidos pela aragem

Tranco o coração num soluço embargado
E revejo meu passado quase sem emoção
Aumentando a dor do meu existir amargurado
Ao lembrar cada sonho perdido,cada ilusão

Minha mocidade passou e eu nem percebi
a maturidade me abraçou sem nenhum prazer
Até parece que nenhuma emoção eu vivi
Tal a força do meu desprezo pelo meu viver

Sempre busquei em cada momento reter
As lembranças que me faziam prosseguir
Percebi que apenas eu vivi por viver
E isso foi o tudo que eu pude conseguir

Hoje o som dessa brisa nem tão suave
Me enche de tédio e também de rancor
Cada som,lembra a dor que trago num entalhe
Por uma vida sempre tão vazia... Vazia de amor

E até confesso com uma certa amargura
que nem mesmo por você me fiz entender
E hoje agonizo nas sobras da minha loucura
Que foi passar a minha vida toda amando você

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios