terça-feira, 5 de julho de 2011

Alma Inquieta


O tédio tem invadido o meu mundo
Numa letargia amarga e cruel
E até penso ouvir de modo profundo
Minha alma chorar envolta em fel

As horas que se arrastam são infelizes
Nada há que faça uma diferença qualquer
As vezes julgo ser culpa dos deslizes
dessa minha alma irrequieta de mulher

E essa tarde de domingo já tão perdida
Como a maioria do que existe em meu viver
Nada surge que possa fazer na minha vida
Um sonho a mais onde eu possa escolher

O que vejo nesses meus dias tão sem sentido
É o desgosto tomando formas sem receios
E a cada novo dissabor que tenha surgido
Tem sido apenas um entrave nos meus anseios

Anseios que povoam enlouquecidos meu coração
Que o destino os vai criando sem perceber
Que minha alma no existir só encontra a razão
Quando se perde em delírios pensando em você

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios