sexta-feira, 3 de abril de 2015

CONTINUO Á PASSOS CURTOS


O tudo que na minha vida um dia foi chegado
Com certeza que por mim nunca foi o que busquei
Também nem sei se foi trazido por Deus ou pelo diabo
O muito que eu sei é sempre foi alto o preço que paguei



Cada paraíso a mim oferecido tinha por morador a serpente
Que se transformou em anjo quando isto então lhe convinha
Não acredito que eu tenha sido alguma vez totalmente inocente
Talvez o meu erro maior foi acreditar no ser humano... Falha minha

A ninguém posso culpar pelas minhas nefastas e trôpegas passadas
Ou mesmo por cada momento esperado e que a mim nunca veio
Afinal eu tinha consciência desde adolescente, pois assim fui alertada
Que eu não tentasse ser feliz, alegrias efêmeras, talvez nesse entremeio

Hoje, o que sinto é a minha vida se resumir a um triste declinar de dia
As cores vão esmaecendo... Num enervante, cruel e lento desbotar
À noite que vai surgindo, apenas ofereço as minhas falsas alegrias
Pois assim tem sido as minhas passadas nesse meu triste caminhar

A lentidão com que sorvo esse cálice tão amargo que me é ofertado
Apenas traduz para mim o que tanto demorei para enfim compreender
E cada flor que a mim um dia foi dada, não havia perfume a ser exalado
Inevitavelmente havia uma seiva amarga que escorria de cada você

Que importa se algo de bom um dia eu pude finalmente ter dado
Afinal para alguma coisa deve servir aqui na terra nossa jornada
Se meu mundo está triste, se está feio ou mesmo desbotado
O erro maior foi eu querer dar-lhe uma nova e bonita pincelada

Mas continuo aqui... À passos curtos enquanto me for permitido
Ausências muitas ainda se farão... E disso eu tenho plena certeza
Mais continuará sem que nenhuma delas eu tenha assim preferido
Mas caberá a mim não me deixar enganar por falsas belezas...

Mas cá na terra, cada um de nós temos uma missão a cumprir
E eu acredito piamente que a minha um dia ainda se fará
De alguma forma terna e num preciso modo que eu possa sentir
Que por alguma razão a mim tenha valido à pena esse meu caminhar

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios