domingo, 26 de junho de 2011

Gélido Abraço



Voltei após um período longo de cansaços
De intermináveis dias e noites também
Me acompanha como morte,um gélido abraço
E a frieza de um mundo que vai mais além

Em sonhos sempre persegui a felicidade
Mas esta sempre arredia fugia de mim
O tempo passou... E constatei que a idade
Nunca seria um começo para qualquer fim

Quanta vezes pensei não conseguir ir mais além
Já que o tempo cruel me trouxe miseráveis amarras
Para mim,não havia mais jovialidade nem saúde também
E mesmo assim aceitei do destino as afiadas garras

E perdida entre os percalços e tombos da vida
Ansiando conseguir do tempo um pouco mais de tempo
Pois quando chegar o abraço gélido da morte atrevida
Quero sentir teu afago nas folhas mortas ao vento

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios