domingo, 18 de janeiro de 2015

O TEMPO E A DISTÂNCIA


Durante algum tempo eu não quis acreditar
Que a minha vida voltaria ao que sempre foi
Vazia... sem algo de meu pra poder sonhar
Perdeu-se a vontade entre o antes e o depois
Tentei entender as razões que teve a Vida
Primeiro a de me iludir me fazendo crer
Que cada hora contigo nunca seria perdida
Pois eu era importante demais pra você...
Hoje a sensação de vazio que a mim chegou
Se fez mais forte que todas as outras vezes
Doeu, pois mais uma vez a vida por mim passou
E foram nessas horas dias e também meses
Mas o tempo também me fez de alguma forma ver
Que eu posso discordar de certos ditos popular
Pois não importa o meu ontem ou o hoje, se você
Foi quem me fez entender o quanto se deve calar
Calar diante de um sol que desponta, pois com razão
O sol não nasce para todos...Há quem não possa admirar
Quem muito fala muito erra... Quem cala erra em profusão
Comigo vi acontecer... Calei quando na verdade, devia falar
Hoje realmente senti a tristeza se alojando devagar
Lágrimas quentes desceram pelo meu rosto lentamente
Senti minhas esperanças morrendo e nada fiz para evitar
Pois o tempo e a distância me venceram novamente
Não quero mais sonhar, pois sempre se tornam em pesadelos
Não tentarei fingir que estou feliz se assim eu não estiver
Não terei para com a Vida qualquer tipo de sonhos ou desvelos
O destino me mostrou que devo esquecer meus sonhos de mulher
Aquietarei meu coração e qualquer ânsia em querer voltar a sonhar
Minha passagem pela terra se fará de forma contrária ao meu querer
Perdi da Vida, talvez, a última chance de voltar a sorrir ou mesmo amar
Se foi a oportunidade que um dia pensei existir de ser feliz com você...

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios