domingo, 4 de janeiro de 2015

Apenas isso...



A grande maioria das pessoas usam o último dia do ano pra realmente pensar no ano que está acabando, nos erros e acertos e se promete fazer tudo diferente.... Eu acredito que eu seja o contrário...
Usei o primeiro dia do ano exatamente pra fazer um balanço do que se foi... Do que ficou e principalmente do que nunca chegou. Vi onde mais me dei e onde mais me enganei... Onde menos sorri e mais chorei... Onde mais sofri e muito mais calei... Não se pode cometer o mesmo erro duas vezes...
Não adianta insistir se nada vou conseguir... Não tenho como mudar o meu interior... Tentei... Mas falhei.
Olhando para dentro de mim descobri que pouco consegui nas centenas de vezes que tentei...Tentei realmente ser feliz, e confesso que tentei até com certa veemência, mas eu tenho uma falha muito grande de caráter... Sou muito sensível. As pessoas conseguem me ferir com muita facilidade, ou melhor, eu me deixo magoar com uma facilidade incrível e sinto que isso mais acontece por fingir que estou feliz, quando na verdade a dor se faz cada vez mais forte dentro de mim.
Por isso resolvi não mudar... Vou ser eu mesma... Tirarei a máscara do meu atual fingimento e quem sabe ponha de volta a máscara que sempre me ajudou a prosseguir nessa minha caminhada...
Tentarei usar um pouco do que Deus me tem dado. Voltarei a escrever para mim, voltarei a desnudar a minha alma pelos sentimentos que estão dentro de mim e não pelo que as pessoas querem ler...
Tentarei ser eu mesma, vou tentar também não me decepcionar mais com as pessoas, pois cada um só dá o que tem, não tenho o direito de esperar o melhor de quem não tem sequer hombridade para consigo próprio.
Este ano que passou me trouxe o melhor que havia para mim, mas também me fez descobrir o pior que alguns trazem escondido.
Não interessa se sou Gil Ordonio ou Gábata Almenon... O que importa é que sou uma mulher com defeitos e qualidades, mas acima de tudo para discernir o que me faz bem ou me desnorteia.
Apenas para 2015 terei o maior prazer em ser eu mesma... Apenas isso...
Poderei dar uma gargalhada ao tropeçar ou chorar diante de uma bela declaração, não importa a emoção que terei exposta... Só quero ser autêntica... Nada mais do que isso... Ser feliz? Não acredito... Estar feliz? é mais provável... Quem sabe?

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios