segunda-feira, 30 de abril de 2012

DO MEU ALCANCE







Sentada à sombra de um  coqueiro
Olhando o mar logo penso em você
Pois nessa vida de momentos corriqueiros
Me vi perdendo pouco a pouco... Você


E esse som que chega aos meus ouvidos
Som de mar quebrando nas pedras
Se mistura a outros sons  proibidos
O de nossas almas  em particular festa


Hoje tão distante estás do meu alcance
Porém bem mais perto dos meus pensamentos
E revejo na história desse curioso romance
Que nada consegue apagar nossos momentos


E mesmo que não dês importância ao fato
Do que representaste no meu solitário viver
Surpreendi-me ao ter meu coração conquistado
Por quem nen sequer chegou a me conhecer


E já não me importa que de mim continues ausente
E que insistas de nessa ausência permanecer
Embora tudo isso só me faça ainda mais carente
Ansiosa de poder estar outra vez com você...


E a cada novo dia que vejo nascer
Sinto a angústia em mim cada vez mais forte
Pois o prolongamento dessa falta de você 
Tem a intensidade do tenebroso eco da morte


Por que dificultas essa nossa reaproximação
Se é tão pouco o que estou a te pedir?
De ti só quero teu amor e essa tua paixão
Pois todo o resto pra mim deixa de existir


Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios