sexta-feira, 26 de agosto de 2016

NÃO FOI ISTO O QUE PENSEI


Não sei exatamente o que acontece... 
Sei apenas que bem vinda já não sou
E isso fere, magoa e muito entristece
Antes era tudo diferente, hoje desbotou

Todos mudam, mas mudasses demais
Antes eras fechado, mas hoje não
Não para a rua, pra esses nunca mais
Hoje parece que me atiras no porão

Quando eu era jovem, era diferente
A preocupação era de fato comigo
Mas o tempo passou e infelizmente
Perdi o que encantava teu sorriso

Outras risos devem ser mais cristalinos
Os muitos assuntos te chamam a atenção
Há muitos anos que devias ter sido límpido
E por certo eu não seria sobras no teu coração

Te aborreces e muito quando tento conversar
Meus assuntos não despertam interesse ou cansam
Opinião já não precisas penso que tens onde buscar
E sempre termino por calar, é que eles a ti inflamam

Vais achar que exagero no que estou a falar
Mas se fosse o contrário o assunto não desprezarias
É só lembrar quando ao telefone algo vou comentar
Tens pressa e vais jantar e eu fico com minha falsa alegria

Não foi isto o que pensei viver ao fim dos meus dias
Mas fazer o quê, ninguém é perfeito bem se vê
Há muito percebi não fazer mais parte da tua alegria
Pena que depois de velha e doente, isso fosses perceber

Mas não acredito que irei atrapalhar muito mais tempo
Apenas eu sinto que de certa forma deixasse de viver
Minha vida pouco a pouco se esvai como plumas ao vento
Só espero que ainda  haja tempo ao menos para você





Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios