domingo, 5 de junho de 2016

E MENTES


Não entendo porque as pessoas vivem a mentir
E quase sempre mentem com tamanha propriedade
Que acho até difícil de podermos fazê-las sentir
Que a mentira na realidade não passa de mediocridade

E tu que mentes com soberba de quem está certo
Mentes... E te acho tão insignificante e idiota
E te olho e não lês no meu olhar quanto te detesto
Se soubesses que meu sorriso só demonstra chacota

Mentes e mentes tão mal o que só aumenta meu desprezo
E a cada vez que me lembro minha reação é de asco
Mentes, e sei que mentes talvez por puro e irracional medo
Mas mentes... E covardemente transformas tudo num fiasco

Mas não adianta querer enganar com esse jeito senhoril
Pois nada consegues além do meu desprezo e horror
Um dia ainda perceberás que essa tua atitude é ignóbil e vil
E nunca chegarás a lugar nenhum com esse gesto de desamor


Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios