sexta-feira, 17 de junho de 2016

ASSIM SOU EU


Sabe aquele pranto que corre calado?
Aquele soluço que sai como um sopro?
Assim sou eu num triste suspiro abafado
Assim estou eu com tantos desgostos

Se olho para os lados quase nada vejo
Se olho pra cima, apenas a fé me sustém
Não tenho guarida nem mesmo do medo
Já nem sei mais o que de fato me mantém

Ao olhar para dentro de mim só vejo solidão
É o que me contempla essa minha existência
As vezes com tristeza sinto inerte meu coração
E já nem sei o que ainda terei por penitência

Me sinto impotente, já quase sem forças e infeliz
Nada posso fazer por quem tanto precisa de atenção
Minha alma inquieta apenas murmura e nada mais diz
Até esqueci o que dita as regras sobre meu coração

Preciso dar um basta nesse caminho espinhoso e sem volta
É necessário acalmar minha alma sem chamar a atenção
Não devo continuar nessa vida que só me dá revoltas
É necessário dar paz a minha vida... E ao meu coração

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios