domingo, 26 de dezembro de 2010

Ultrajante


Que saudades hoje em dia eu tenho
Dos belos tempos de outrora
E nesse lamento eu aqui venho
Expor meus sentimentos de agora

Hoje prevalece forte a maldade
Pouco vemos de atos solidários
E isso nada tem a ver com a idade
Pois o mal raramente é solitário

À terceira idade só restam os lamentos
E as lágrimas que vez por outra nos surge
Se perdeu no tempo todo o encantamento
Hoje parece ser ultrajante a virtude

Na minha boa época de adolescência
Era forte o sentimento de amor e respeito
Também era raro a prática da desobediência
E desfrutávamos do melhor da vida com jeito

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios