sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Desejo Insólito


Quantas vezes estive aflita e angustiada
Por achar que tudo estava para mim perdido
Mas quando me falaram de você tão familiarizada
Senti renascer o desejo insólito pelo esquecido

E uma voz tão afoita e bem mais que atrevida
Me falou sem segredar o que talvez pudesses
E me desfilaram vozes e cenas tão queridas
Mesmo que recordar no momento eu não quisesse

E lancei-me ávida as muitas lembranças
Que durante dias permaneceram adormecidas
E senti brotar um novo fio de esperança
Por cada uma daquelas emoções vividas

E voltei a buscar no tempo e no espaço
Cada pormenor que me trouxesse vida
E senti mais uma vez o calor dos teus braços
E revivi cada sensação que me foi permitida

E vou calmamente tentando libertar
Na forma mais pura que conheço, que é escrever
Pois eu sei que novamente voltarei a amar
Toda lembrança preciosa que eu tenho de você

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios