segunda-feira, 20 de abril de 2009

O Outro Lado


Mulher! como foste insensível e insensata
Não viste as flores que deitei em teu caminho
Não sentiste dela o perfume, oh! ingrata...
Apenas sentiste dela, os pontiagudos espinhos

O pior bem sei, é que tanto amor nem merecias
Mas mesmo na dor, de amor ainda me embriago
E cada lamento meu, sinto até ser covardia
Já que de ti só me veio mesmo os maltratos

Esse é o outro lado que eu não queria
Dei-te amor e em troca só recebi indiferença
Acreditei que um dia por fim mudarias
Mas falhei nessa minha mísera e perdida crença

Hoje, ainda juntos mas me sinto separado
Pois nunca tive tua alma nem teus carinhos
E mesmo tendo meu coração, assim,tão magoado
Deixo-te as pétalas e me reservo os espinhos

Um dia quem sabe ainda consigas perceber
O que grita meu peito tão triste e infeliz
Meu pecado nesta vida foi te amar...e ainda ver
Que foi isto o que tu nunca desejou e nem quiz

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios