segunda-feira, 20 de abril de 2009

Nada Mais Existe


Eu queria apenas poder falar
Que sinto já não ser aqui meu lugar
E são tantas coisas mal ditas
Tantas coisas mal ouvidas
Que em vão tento esquecer...
E o meu coração já não mais se entristece
Mas por falta de amor, muito padece...
E nesse constante desatino
Já não lhe vejo como menino
E já nada de bom há para crescer...
Antes... o que me dava alegria
Por uma inquieta e estranha ironia
Se perdeu no monótono tempo.
Meus sonhos se foram levados pelo vento.
E agora o que fazer?
Acordar no tempo e tentar crescer
Ou cruzar os braços
Esperando meus sonhos se desfazer
Ou estão esperar e perceber
Que nada mais existe
Nem mesmo eu e você...

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios