quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Numa Única Vez



Durante anos vivi como em degredo
Pois você representava a minha terra natal
E conservei durante décadas esse segredo
Que aos poucos, pra mim tornou-se fatal

Quantas vezes pelas madrugadas me perguntei
Se conseguisses ser realmente feliz
Na tua liberdade, minha última ficha apostei
Já que não fazia nenhum sentido seres infeliz

Dessa vida muito pouco de bom consegui guardar
Pois o melhor de mim levasses ao partir
É que não tivesses culpa por não mais me amar
E assim o meu sonho, não tinha mais como existir

E no dia quando eu daqui finalmente me for
Levarei comigo esse teu momento qualquer
E será o alívio final dessa minha grande dor
Que começou no dia que me fizeste tua mulher

E como não me foi dado a chance de um dia viver
Como alguém... Feliz... Após tantas horas de dor
Mas eu ainda conservarei no momento que eu morrer
A chama bruxuleante desse triste e infeliz amor

E talvez assim eu ainda consiga numa única vez
Apagar do meu coração toda a inércia desse meu viver
E já terei chorado toda a lágrima dessa minha viuvez
Que teve o seu início no dia em que eu perdi você

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios