segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Doce Fascínio


À Garota Silvia Elayne


Ela tem um olhar bastante meigo
E um sorriso muito doce e cativante
Bem sei que não há ninguém perfeito
Mas a Silvia é realmente interessante

Sempre com um sorriso nos lábios a bailar
Deixando seu semblante ainda mais inocente...
E tenho por certo que nunca a viram reclamar
De algo que porventura não procedesse realmente

Nessa menina podemos ver muita delicadeza
O que nos faz lembrar de uma inocente criança
Com certeza em seus princípios aflora fortaleza
Que deixa transparecer muita garra e esperanças

Mas bem sei que por traz de tanta soberana meiguice
Há uma mulher, extremamente pela vida apaixonada
Talvez o seu fascínio esconda a fase das peraltices
Mas revela toda a doçura dessa mulher determinada

E é assim, dessa forma, que a menina Silvia eu vejo
Um corpo de mulher com sorriso e olhar de criança
E na firmeza de cada um dos seus muitos desejos
Brilhará com certeza a grandeza de cada esperança

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Amigo



Eu gostaria muito que pudessem entender
o verdadeiro significado da palavra amigo...
Pois no meu entender, amigo para mim é você
Essa pessoa maravilhosa, esse homem contido
Um ser absoluto, difícil de achar, fácil de ter...

Amigo, amante, ou mesmo um irmão
Amigo, repeitoso, tão dado e interessante
Amante, só mesmo em doentia imaginação
Pois existe um termo bastante agravante
Amante, adoeceria um tão puro coração...

Irmão bem sabemos nós o somos desde então
E entre nós existe afeto grande e verdadeiro
Respeito mútuo que nos revela grande satisfação
E ainda querem então, destruir assim por inteiro
Sentimento tão puro, sem nenhuma possível razão

És o homem mais sensato, o amigo tão perfeito
Que um dia o destino na minha vida colocou...
Que me importa se há quem chegue sem jeito
E não consiga perceber que esse nosso amor
É um sentimento que não se pode achar defeito

Não aceito que por inveja ou apenas maldades
Outros, respingue em nós o que a alma lhe corroe
Pois a melhor coisa que existe ainda é a saudade
Quando esta, em nosso coração suavemente dói
Então nos falamos,ou nos encontramos pela cidade

E é tão bom poder lhe ver, ouvir e me maravilhar
Saber que é hora de mais uma vez apenas querer
Com toda a simplicidade dividir e também somar
Problemas,alegrias, e acima de tudo poder perceber
Que nada no mundo conseguirá um dia nos separar

Esqueça suas decepções, suas invejas ou desamor
Entre Sérgio e eu, tudo se fez grande e também perfeito
Fique você com seus desencantos, pois em sua dor
Descobrirás que nada na vida te dá qualquer direito
De querer destruir algo tão perfeito quanto esse amor


sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Profundezas De Um Olhar



À Maria Eugênia

Eu conheço uma garota, a Geninha
Portadora de traços bem delicados
Mas, para grande surpresa minha
Cada gesto seu é muito bem pensado

Possui uma inteligência primorosa
O seu futuro com certeza será promissor
Ela demonstra também ser muito vaidosa
E no sorriso revela um jeito provocador

E se imagino para ela uma comparação
Eu lhe compararia a delicadeza da flor
Dos sentimentos a mais pura emoção
E do arco-iris as nuances de cada cor

Geninha tem na profundeza do olhar
Os mistérios que envolve a natureza
Sinto até dificuldades para falar
Um termo que defina essa beleza

Ela guarda consigo uma superioridade
Mesmo em meio a tanta singeleza
E não importando a sua pouca idade
Pois é da sua alma que brota essa beleza

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Esperanças Perdidas


Sempre à espera de um sorriso
De um afago gentil e carinhoso
Ou mesmo de um gesto amigo

Mas só tive gestos desdenhosos
E um silêncio amargo e cruel
Nunca algo bom ou apenas generoso

Sentimentos sempre os tive fiel
Mas meu cálice sempre transbordante
Apenas e tão somente de puro fel

Mas o gesto aconchegante
Ou o sorriso calmo e matreiro
Se perdeu nas fendas do horizonte

E onde foi que ficou você?
Minha paz e meus desejos
Você os obrigou a se esconder

Meu olhar vago num lampejo
Aquiesce ao que não veio
E tem subjulgado seus desejos

Tudo se perdeu nesses anseios
E como numa breve visão
Se despede do mundo sem receios

Deixa de bater por você meu coração
É que se perderam todas as esperanças
Vindo a morrer sufocada minha emoção

Minha Máscara



Ao sentir o gosto tão amargo
Dessa lágrima que está a correr
Percebo que essa minha máscara
Revela meus sentimentos por você

E haja sofrimento a ser sofrido
Angústia que me maltrata assim
Não consigo fingir meu fingimento
É uma dor que o tempo não põe fim

E esse sorriso que estampo no rosto
Apenas esconde o que trago na alma
E querer não revelar isso a você
Me fez perder toda essa fingida calma

E nessa infrutífera tentativa de ocultar
O que a minha face sem querer revela
Eu penso que toda essa minha tristeza
Também não posso lhe culpar por ela

E nessa cruel tentativa de querer esconder
O que essa minha máscara em vão insiste
Deixo que apenas eu ainda por tudo sofra
Já que meu coração de te querer não desiste

domingo, 2 de agosto de 2009

Guardo Tudo Na Alma



O vento que sibila lá fora
Parece até querer me chamar
E eu sei não será também agora
O momento de por fim parar

Nas conquistas da vida deixei
Muita coisa ainda por terminar
Mas contudo eu muito bem sei
Que o melhor da vida é sonhar

Sonhar com um mundo quase perfeito
Que só trouxesse prazer e alegria
E deixando aflorar de vez do peito
Cada riso que no ar por certo espocaria

E o toque quase cálido e suave dessa brisa
Cede lugar ao toque indiferente do esquecimento
E sorrateiro como uma cobra que apenas desliza
Vejo o rastejar miserável e tedioso do tempo

E perdida entre sentidos tão contrafeitos
Lanço um olhar que por certo muito pouco diz
Um olhar que não revela o que trago no peito
E que não permite sentir-me nenhum pouco feliz

E involuntário meus sentimentos que hoje agoniza
Marca por sua vez o que em mim insiste em ficar
E cada sentimento no tempo trazido como uma brisa
Guardo no coração sem nem sequer pensar em sonhar

Finalmente


Nessa angústia, hoje quase crescente
Vi meu mundo aos poucos desmoronar
E nos momentos as vezes contentes
Percebi que em todos me deixei enganar

Iludida eu sempre ia buscando
O que me levasse à uma euforia
Sem conseguir perceber no entanto
Que era tudo uma falsa alegria

E hoje quando finalmente aceitei
Que nada mais pode me enganar
Nesse mundo de tristeza vislumbrei
Algo que pode a tudo isso salvar

E em meio a um turbilhão de sensações
Eu sinto que da vida algo posso reter
E é por saber que nesse mundo de ilusões
Existe alguém que não quer me ver sofrer

E sou invadida por uma onda de esperanças
E nesse meu mundo de pouco poder sentir
Sinto que essa minha tão grande confiança
É por ter a certeza que ainda posso sorrir

Sorrir para uma nova vida posso até querer
Mas meu desejo é abraçar-me a essa conquista
Me despertando para eu poder finalmente viver
Essa emoção que bem sei há muito se acha contida

Se Volto O Rosto


À Angélica Souza

Em que trecho da minha vida
Meus sonhos deixei escapar...
Eu já não sou mais tua querida
E já não te tenho mais para amar

E se volto o rosto ao passado
Percebo que me perco cada vez mais
E todos aqueles momentos de afagos
Sei que esquece-los não poderei jamais

Mas de repente os perdi,e mesmo assim
Nessa mágoa que o tempo ainda apagará
Eu sinto que mesmo tudo tendo um fim
Ainda é grande demais esse meu amor

E sofrerei por cada lembrança que vier
Por cada abraço que no tempo se perdeu
Mesmo sofrendo, ainda te quero se você quiser
Pois eu acredito que esse amor ainda não morreu

Também não quero só de lembranças viver
Meus sonhos ainda os quero retomar
E para tudo isso só preciso de você
Pois é só você que eu ainda quero amar

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios