segunda-feira, 27 de julho de 2009

Alma Cansada


À Angélica Souza

Hoje estou me sentindo só e carente
Mergulhada num mundo vazio e sem cor
E percebo que no meio de tanta gente
Só consigo ver a mim e a minha dor

A ausência dos teus beijos e carinhos
Que em profusão alimentava minha alma
Levaste contigo, quando te foste sozinho
E sinto que junto foi também minha calma

E nesse momento, cansada e abatida
Olho para trás e sinto nesse meu medo
Que nessa ilusão por vezes tão cansativa
Meus sentimentos não mudam, isto percebo

E em meio aos sonhos desfeitos prossigo
E minha alma angustiada espero que adormeça
E o meu coração, coitado, eu ainda o sigo
Desejando que minha paz ele por fim restabeleça

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios