sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Eu Bem Sei Que Sorrirás...


Nunca conseguirás imaginar o que hoje lhe digo
Nem tão pouco o quanto lhe amei e ainda amo
Meus dias de tédio e noites de solidão, são infindos
E apesar de tudo isso, de nada, de nada mesmo reclamo

O frio da madrugada sempre que me abraça
Traz consigo uma solidão imensa e aziaga
E não há nada que eu tenha feito ou faça
Que me livre dessa nostalgia que me embriaga

E essa dor imensa que em minha alma se aprofunda
É uma tortura nesses meus dias tão sofridos
E a cada momento em que ela mais punge e abunda
Sinto meu peito sangrar num desejo proibido

E eu ainda conservo no refolho do meu olhar
Uma réstia de esperança que me abraça
Pois eu sinto que em algum outro lugar
Também sentes esse amor que o tempo não embaça

E eu bem sei que sorrirás... Sorrirás Sim
Se chegares a ler mais esse meu desabafo
Pois lembrarás que esse amor,até hoje sem fim
Será sempre teu, pois até hoje o guardo

E aí talvez possas finalmente compreender
Essa loucura que até hoje em mim vive
E que nada nem o tempo consegue vencer
Pois é nessa força que a minha alma resiste

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios