segunda-feira, 16 de maio de 2011

Mais Uma Vez



Sentada nessa mesa, assim, tão indiferente
Tendo o olhar parado, fixo no fundo do copo
Pareço não perceber a chuva que cai inclemente
Aliás... a minha volta, eu na verdade nada noto

E numa grande tristeza que vive a me consumir
Não escuto nem mesmo o que dita o meu coração
Embora eu saiba que algum dia não terei como fugir
Do motivo maior que motivou essa minha desilusão

E eu sei que mais adiante estará à minha espreita
O olhar gélido e indiferente da minha solidão
Aguardando quem sabe, que eu mesma me perca
Diante do sofrimento que inunda meu coração


E talvez ela até esteja certa ao pensar
Pois sabe que não terei a quem recorrer
E caso não aconteça o que vivo a buscar
Continuarei sozinha,a esperar por você

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios