segunda-feira, 28 de junho de 2010

Fortes Emoções


Eis que uma voz suave e trêmula
Chega de mansinho aos teus ouvidos
Te tomando por segundos os sentidos
Embargando assim a tua voz
E como um bálsamo cai em teu coração
Que abraçando com calma a tua alma
Vai te transmitindo fortes sensações
Em meio a uma suave emoção.

E assim as portas do teu passado
Que por tanto tempo ficaram fechadas
Se abrem...
E um pouco atordoado
Te chegam lembranças
Que na mente retiveste
Para alimento da tua esperança
E que hoje não contiveste

E esse amor um dia tão reprimido
Explode num calado grito...
E então, um pouco sem jeito
Dás evasão a alegria do teu peito
E te pões a falar

E ouves em resposta
Uma voz quase chorosa
E ficas a pensar...
"Esse é o meu primeiro fruto
Que um dia tão frágil e pequenino
Em meus braços acalentei
Como um presente divino"

E em meio a tão grande emoção
As palavras te saem sem pressa,
E como num bom presságio
Deixa-te invadir por essa sensação
Como resposta a uma tua promessa...
E sentes que em breve irá acontecer.
E envolvido pela ternura que te abraça
Deixas fluir esse amor que tens guardado
Para essa filha nunca esquecida
Pois sempre foi lembrança forte em teu viver.

Um dia a vida os separou...
E o tempo apenas deixou este amor adormecido
Porém o destino decidiu, e os juntou
E por esse amor bendito
A esperança se renovou...
Eis que pai e filha se reaproximam
Para continuar essa história
Que entre os dois nunca acabou...

Bem Mais Razões


A vida as vezes se torna engraçada
E nos reserva surpresas sem igual
Como foi com a Anny,que na sua estrada
Retornaram pessoas,de uma história sem final

Primeiro foi uma sensação embriagadora
Que aos poucos invadiu seu calmo coração
E a natureza tão caprichosa e perturbadora
Também lhe deu de presente alguns irmãos

Mas ainda pairava de forma inquietante
Uma esquecida figura em seu coração
Que pelo destino se fez ausente e distante
Mas que sempre foi real, nunca uma ilusão

E a cada novo contato que se fazia
Algo forte dentro dela foi acontecendo
E agora sabe que para sua alegria
Era um forte amor que estava renascendo

Tem coisas que não se consegue por um fim
Mesmo nas grandes voltas que o mundo dá
E foi numa dessas voltas que ela pode enfim
Receber de volta o que a vida quis lhe tomar

Ela sempre foi feliz na vida que levava
Mesmo tendo algo tão vago em sua mente
Hoje sabe que tudo quanto a memória guardava
Era porque para tudo há um momento, felizmente

Hoje, ela tem bem mais do que a vida para ela quis
Tem ao seu lado uma família que muito a ama
E a faz como sempre realizada e também feliz
E agora... Uma antiga nova família que a encanta

E é agradecida a Deus por cada um desses momentos
Que a ela tem chegado carregado de tantas emoções
E para um seu tão grande e rico aperfeiçoamento
Mais dias virão onde encontrará bem maiores razões

terça-feira, 15 de junho de 2010

Entre Eu E Você


Bem sei que nunca haverás de entender
Que o que houve entre eu e você
Foi bem mais do que pura ilusão
Foi algo bem mais complexo
Para você talvez amor sem nexo
Para mim a maior e mais profunda emoção

Talvez nunca lhe será bem aceito
Esse motivo que sufoco com razão
Pois, por mais que eu tente não há jeito
De negar que o que me uniu ao seu coração
Foi sem dúvida esse amor que trazias no peito
Um amor sôfrego e repleto de emoção

E bem sei que quando as suas mãos tocam
Outra curvas que não as minhas
Aí por certo comprendes o que nos sufocam
E lembrarás dos momentos em que me tinhas
Momentos esses que muito nos importam
Pois eram nesses momentos que não te detinhas

E sei que lembras tudo quanto um dia vivemos
E sentes de tudo isso a grandeza
Pois tudo quanto um dia vivemos e perdemos
Era na verade de uma grande pureza
E essa história foi o que juntos quizemos
E foi sem dúvida de grande beleza

Confesso


Um dia fui tão feliz e tão viva
Tão bela e tão formosa
Que havia quem se sentisse
Ofendida
Por essa figura tão radiosa

Noutro dia fui como flor murcha
Que serena aceitava o martírio
Ao ver que meu grande idílio
Não desabrochou,e triste perdeu a cor

Ontem, as lágrimas que eu vertia
Escondia sem perceber
Que toda dor que eu sentia
Foi por um dia ter perdido você

E hoje, perdida entre realidade e ficção
Abraço essa tristeza que me chega faceira
Pois sabe que um dia eu fui a primeira
Que preencheu com sonhos seu coração
E se perde de dor por não ter sido a derradeira

Amanhã, continuarei desencantada e emudecida
Pois sei que as vezes fui quase uma desconhecida
Nessa história tão louca e no tempo desfeita
Onde a dor do silêncio se faz imperfeita
Pois sabe que cada grito calado
É consequência desse amor desatinado

E como nos contos mal contados
Esse seu amor louco e desgraçado
Me atingiu em cheio
E hoje, confesso sem pudor ou receios
Que a maior dor é por não te conseguido viver
Uma outra grande ou louca história de amor
Pois isso só seria possível com você

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Embriaguez


Eu bebo todas as minhas amarguras
E sorvo cada uma das minhas emoções
E sufoco quase sempre com brandura
O triste gotejar das minhas ilusões

Aspiro sem muita vontade as lembranças
Que vez por outra insistem em voltar
E se vão para mim quase todas as esperanças
Só restando a eterna ansiedade em meu olhar

E vou tentando perder-me ou achar-me no tempo
Em tudo aquilo que um dia foi bom para mim
Mas eu sinto que para meu grande tormento
Faltou nessa história por um verdadeiro fim

E perspicaz percebo que a própria natureza
Tem se encarregado um pouco de me castigar
Pois ela sabe que em toda sua grande nobreza
Faltou apagar no tempo um verbo chamado amar

E como galhos secos e as vezes retorcidos
Vejo minha própria imagem se desfazendo
E ela é apenas vítima dos anos esquecidos
E dessa história que o tempo foi escrevendo

E nessa embriaguez que me chega com razão
Viver nesse torpor é a única chance que tenho
Pois só assim escondo a tristeza do meu coração
Quando me embriago nesses versos que componho
 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios