quarta-feira, 12 de outubro de 2016

DESFAZENDO SONHOS NOBRES


Eu queria muito na vida poder realizar
Os muitos e simples sonhos que sonhei
Porém o que mais me deixa frustrada
É saber que nada disso eu conseguirei
Apenas verei o tempo por mim passando
Minhas frustrações do mundo ocultando
E mesmo assim, prosseguirei sonhando
Pois só por meus sonhos ainda esperarei

Se olho ao meu redor e o mundo em geral
Verei mais motivos pra chorar do que sorrir
São tantos gestos de maldades e indiferenças
Que se eu dissesse o contrário estaria a mentir
São tantas crianças a chorar a falta de amor
Tantos adultos tentando esconder a sua dor
E no meio de tanto sofrimento e desamor
Só me resta nessa vida continuar a fingir

Fingir que o pouco que consigo fazer me satisfaz
Pois do contrário seria mesmo enlouquecedor
Há tantos de mãos estendidas, não apenas por pão
Mas sobretudo pela carência dessa falta de amor
"Amai-vos uns aos outros como Eu vos tenho amado"
Esse foi um dos maiores ensinamentos a nós chegado
Mas receio que poucos atentam para este anunciado
E assim morremos por dentro, sucumbindo a essa dor

Dor que machuca quem ainda consegue ao menos sentir.
E clamando por amor vai prosseguindo a humanidade
E o egoísmo ainda fala mais alto, e as vezes até cabisbaixo 
E mesmo assim não vence a nossa ânsia de solidariedade
Até quando sremos obrigados  a presenciar de modo forte
A indiferença e rudeza de palavras ferinas e gestos torpes
Arrancando lágrimas, desfazendo sonhos puros e nobres
E que nada nunca nos impeça de sufocar sem dó essa maldade








Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios