sábado, 3 de outubro de 2015

VÃ ESPERANÇA


Hoje, a saudade se fez mais forte e dorida dentro de mim... Saudades do que passou e perdi... Saudades principalmente do que não vivi...
Tenho a alma em prantos e na verdade nem entendo a razão, só sei que dói... Dói muito, sinto o peito rasgando diante do que nem eu consigo compreender.
Saudades daquele tempo em que eu era apenas uma criança e não sabia das dores que eu teria ainda que sentir.
Como eu queria fechar os olhos e descobrir que eu ainda sou aquela criança peralta e tão cheia de vida... Ou até mesmo olhar-me no espelho e ver aquele par de olhos verdes de esperanças e em tantas ocasiões com a inocência de um límpido e tranquilo olhar de quem nunca soube o que era maldade...
Ah! como dói olhar para trás e descobrir simplesmente que esqueci de viver.
Há dias, como hoje, em que o passado parece bater à minha porta com insistência e desesperada percebo ser tomada por uma fria indiferença... A dor da saudade que tocou fundo minha alma, parece querer me mostrar que o melhor de mim foi antes de você surgir em minha vida, quando a ousada inocência parecia brincar com tudo e com todos...Acho que hoje senti muito mais você morrer dentro de mim do que eu própria quando me assassinei na vã esperança de matar você dentro da minha melhor saudade...


Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios