quarta-feira, 14 de novembro de 2012

LEVAREI COMIGO



Hoje acordei assim... Uma estranha sensação me invadindo
Na verdade nem sei a que mesmo me proponho...
Mas, já fazem dias que eu sem querer venho descobrindo
Todas as migalhas que povoaram os meus sonhos...

Talvez nem eram marcantes, já que não foram tantas assim...
Só sei que foram elas que desencantaram meus sonhos
Pois migalhas, são as sobras daquilo que já nem se quer, é o fim
Embora seja apena o começo desses versos que componho

São versos tristes mas verdadeiros também
São as lágrimas que a minha alma insiste em transbordar
Foram passadas que o destino não me permitiu ir mais além
Talvez até pensem que meu coração só sabe se queixar

Mas é que todas as vezes em que pensei ser feliz
Levei da vida inúmeras e grandes rasteiras
Não estou me queixando embora é o que a vida me diz
Eu apenas queria ser feliz de forma plena... Inteira

Um dia... E bem sei que isto não vai demorar
Terei finalmente o meu esperado consolo
Não importa o que isso venha a me acarretar
Mesmo sabendo que terei sido vítima de dolo

Pois o destino estará sempre a minha espreita
E não deixará de me fazer mais uma crueldade
Perambularei  por ruas largas e também estreitas
Mas levarei comigo as minhas imensuráveis verdades

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios