sexta-feira, 10 de maio de 2013

MINHA VIDA

Essa  madrugada senti o bafejo da morte
Me encolhi toda como uma desprotegida menina
Fui tentando inutilmente me fazer de forte
Percebi ser em vão e senti-me bem mais pequenina

Senti na alma o látego com seus açoites cruéis
E as lágrimas vertidas em tom forte de vermelho
Minha vida se desfiava num  rosário de contas infiéis
E senti da morte o desprezo que me trouxe medo

Um ar gélido invadiu sem preâmbulos o meu quarto
Um cheiro nauseabundo foi tomando conta do ar
Tudo me pareceu sem sentido... Menos o fato
Da minha ânsia em querer um pouco mais de ar...

... Ar para me envolver e poder cant...ar
para não mais me surpreender e sonh...ar
para poder viver e não mais veget...ar
Ar simplesmente para am...ar

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios