sábado, 25 de junho de 2016

MUITO TEMPO AINDA TEREI

       
        
                         À MINHA IRMÃ GEORGETE

Não tive coragem de lhe ver descer à sepultura
Este seria para mim o pior dos momentos
Não consegui lhe olhar nessa derradeira vez
Pois a imagem que guardo em meu pensamento
É a mais bela e encantadora que alguém possa ter
E tenho certeza que nada apagará o que um dia você
Me fez através das suas pequeninas atitudes conhecer
Algo que não permite eu me entregar ao alheamento

Com você muito aprendi e um pouco também ensinei
Nossas conversas sempre eram tão sinceras e livres
Nunca havendo momentos para abarcar a tristeza
Quantas vezes me dissesses, eu sei bem o que dizes
E permanecíamos buscando num distante passado
Fugir dos assuntos que trouxesse algum desagrado
Principalmente se de alguma forma tivesse marcado
a nossa vivência por ter de outrem qualquer deslize

Muito tempo ainda terei para ficar pensando
Nos nossos últimos papos as vezes cheios de dor 
E nessas conversas eu pude sentir sem dificuldades
O tamanho do seu coração e também do seu amor
Muitas lágrimas eu sei que ainda vou derramar
Todas as vezes que por alguma razão de você eu lembrar
E agradecerei a Deus, pois foi ótimo com você partilhar
Os momentos que fazias desabrochar como uma flor




sexta-feira, 24 de junho de 2016

DOLOROSA AUSÊNCIA


Partiste de modo tão rápido e também sem dor
Mas a tristeza que em mim ficou é inevitável
Não mais vou te alcançar nem falarei do amor
Nosso último projeto, hoje tão inalcançável

Te foste e nem sequer houve tempo pra despedidas
Mas retive na memória teu último e lindo sorriso
Te foste sim, mas com certeza nunca serás esquecida
E tenho a certeza que tristeza seria por ti proibido

Minha amada irmã Georgete, há tanto para recordar
No som do teu riso contagiante que ecoa ao vento
No vento da alegria que tão bem soubeste repassar
Que lembrarei não importando por quanto tempo

Serás sempre o perfume que me levará de volta à infância
Não te perderei para as muitas e voluntárias lembranças
Que surgirão nos momentos de recordações em abundância
Principalmente daquela nossa época de traquinas crianças

Mesmo sentindo a tua dolorosa ausência prosseguirei
Nessa minha caminhada tão cheia de percalços e solidão
E terei tempo suficiente para refletir no que não mais direi
Pois jã não precisarás ouvir o que deixei dito ao teu coração

sexta-feira, 17 de junho de 2016

ASSIM SOU EU


Sabe aquele pranto que corre calado?
Aquele soluço que sai como um sopro?
Assim sou eu num triste suspiro abafado
Assim estou eu com tantos desgostos

Se olho para os lados quase nada vejo
Se olho pra cima, apenas a fé me sustém
Não tenho guarida nem mesmo do medo
Já nem sei mais o que de fato me mantém

Ao olhar para dentro de mim só vejo solidão
É o que me contempla essa minha existência
As vezes com tristeza sinto inerte meu coração
E já nem sei o que ainda terei por penitência

Me sinto impotente, já quase sem forças e infeliz
Nada posso fazer por quem tanto precisa de atenção
Minha alma inquieta apenas murmura e nada mais diz
Até esqueci o que dita as regras sobre meu coração

Preciso dar um basta nesse caminho espinhoso e sem volta
É necessário acalmar minha alma sem chamar a atenção
Não devo continuar nessa vida que só me dá revoltas
É necessário dar paz a minha vida... E ao meu coração

quinta-feira, 16 de junho de 2016

A DEIXE VIVER


Muito pouco da vida tenho conseguido entender
Como a situação da minha irmã que está doente
E por mais que eu tente não consigo reconhecer
O amor de Deus, que as vezes me foge da mente

Estou revoltada e eu diria até indignada também
Pois não vejo maldades nela pra tão alto preço pagar
Pois o amor dela pelo próximo sempre foi mais além
Do que tantos que dizem amar e vivem ai apregoar

Ela ainda é jovem e tem tanta vida ainda pra viver
Por que Senhor puseste sobre ela esse terrível mal
Se todo mal dela foi te amar e em ti a vida reconhecer
Sempre amando o próximo e nunca de forma casual

Oh! Meu Pai em nome do teu filho amado eu suplico
Que não atentes para minha revolta, só pra minha dor
Devolve a saúde da minha irmã e de volta seu sorriso
Afinal, eu sei que Tu és justiça, mas És também amor

Quero vê-la a sorrir e brincar como ainda tem feito
Sempre que a dor a abandona e a deixa em paz
Estanca essa dor que sangra sem dó em meu peito
Não me permita vê-la desistir de lutar... Dá-lhe paz

São tantos momentos felizes presos numa infância
Que teima em desfilar perante os saudosos olhos meus
Permita-nos reviver nossos momentos em abundância
Embora eu confie que assim farás meu amado Deus





terça-feira, 14 de junho de 2016

QUANTAS NOITES TEREI


Hoje eu queria escrever algo que fosse bonito
Que tivesse as cores do amor e da esperança
Eu queria fazer algo perfeito... Mas eu desisto
Pois tudo que sou agora é uma perdida criança

As lágrimas não correm porque elas  já secaram
Mas na verdade secaram foram meus sentimentos
Pois dia após dia os vi definharem, estes murcharam
Diante das  covardias, gerando revoltas e ressentimentos

Eu queria muito sorrir sem medo de no espelho  me olhar 
Rasgar a minha alma e tirar de dentro toda minha tristeza
Encarar a vida com altivez e todos os meus medos espantar 
Sentir que as dúvidas se dissiparam só restando minhas certezas

Mas não é isso o que tenho para hoje... Para esse momento
A dor que mais uma vez entranhou na minha alma é cruel
Tem ferido como adaga em chamas os meus pensamentos
Deixando em mim mais uma vez o gosto amargo do fel

Quantas noites ainda terei para esperar ver o dia amanhecer
Quanto ainda suportará de tristeza e desespero meu coração?
Não sei... E tenho a certeza que ninguém saberá me responder
Pois nem eu mesma sei o quanto hei de amargar minha desilusão

Estes últimos dias tem sido de decepções e grandes amarguras
E bem sei que não terei como evitar tando dano a minha alma
Mais uma vez pago o preço por tua falta de caráter, e as agruras
Revestem meu ser distando mais uma vez do meu eu toda calma


sábado, 11 de junho de 2016

O TUDO QUE TENHO


Meu Deus, o que foi que fiz da minha vida?
Os anos se passaram, se desfizeram meus sonhos
As lágrimas se fizeram minhas companheiras
E já não fazem sentido esses versos que componho
São tantas lembranças que estão a me matar
Foram tantos os risos forçados , a espocar
Já não há lagrimas para meu rosto lavar
Que destino triste, este sim foi medonho

Olhando para dentro de mim só tristeza encontro
Em derredor muito pouco me traz real alegria
Quantas noites perdidas com a alma a vagar
Hoje o tudo que tenho se resume as muitas agonias
Esse tem sido meu cruel e implacável degredo
Minha alma sucumbiu ante os profundos segredos
Já nada mais resta... Nem sequer um pouco de medo
Tudo se apagou, tudo se perdeu em falsas euforias

Então eu me pergunto o que faço meu Deus agora
O fim há muito para mim principiou cruel e feroz
Não vejo motivos que possa salvar minha razão
E como tentáculos uma espécie de loucura atroz
Me asfixia deixando um acre sabor na minha boca
Um frio tenebroso transpassa as minhas roupas
E ouço um débil gemido numa voz quase rouca
Talvez por só ter existido um eu... Nunca um nós




quinta-feira, 9 de junho de 2016

NUNCA O SABEREI


As mais belas e tocantes frases que ouvi ultimamente
Vieram de você, quando me falou com certa ternura
Que Deus apenas nos deu um tempo, nunca nos separou
E ao falar que sentia de mim saudades com tanta doçura
E também que não foi por acaso que a vida nos cruzou 
Senti de repente um misto de imensa felicidade e emoção
Se acentuaram de forma célere as batidas do meu coração
E pela primeira senti prazer no que um dia foi pura ilusão
E meus olhos brilharam, mas foi por outra forma de amor

Foste uma etapa da minha vida que nunca vou esquecer
Surgiste como um amigo leal, divertido e tão amoroso
Nossos momentos eram só nossos, nada para atrapalhar
Até o dia que houve discórdia e foi tudo muito doloroso
E nada mais parecia servir ou até mesmo prestar
Muitas foram as lágrimas que eu tive que derramar
Muitos sonhos desfeitos... Tudo vi desmoronar
Já não havia motivos para rir... Nada mais era gostoso

O tempo foi passando e o bálsamo surgiu como um milagre
As noites insones ainda se faziam fortemente presentes
Mas com o tempo vi tudo se dissipando e pouco entendi
Minhas noites aos poucos voltou ao que era anteriormente
Pouco sono e muita imaginação em minha cabeça a rodopiar
Mas já não encontrava tristezas suficiente para voltar a chorar
Meus sonhos se foram e com eles a mente que vivia a vagar
Era um pouco de paz que se me achegava, mesmo abruptamente

Agora, depois do nosso último papo, vejo se fortalecer
Os meus sentimentos que nunca os pude um dia negar
Embora sejam de forma diferente... E até inexplicáveis
Mas há algo que me deixou feliz, quando deixaste escapar
Aliás, não foi que deixaste escapar, foi quando foste verdadeiro
Que sempre sentiu por mim uma enorme paixão, e sei foi por inteiro
E acredite o que falo agora, de minha parte foste sem dúvida o derradeiro
Dizes que nunca irás me esquecer, que seja até  meus olhos finalmente se fechar




domingo, 5 de junho de 2016

E MENTES


Não entendo porque as pessoas vivem a mentir
E quase sempre mentem com tamanha propriedade
Que acho até difícil de podermos fazê-las sentir
Que a mentira na realidade não passa de mediocridade

E tu que mentes com soberba de quem está certo
Mentes... E te acho tão insignificante e idiota
E te olho e não lês no meu olhar quanto te detesto
Se soubesses que meu sorriso só demonstra chacota

Mentes e mentes tão mal o que só aumenta meu desprezo
E a cada vez que me lembro minha reação é de asco
Mentes, e sei que mentes talvez por puro e irracional medo
Mas mentes... E covardemente transformas tudo num fiasco

Mas não adianta querer enganar com esse jeito senhoril
Pois nada consegues além do meu desprezo e horror
Um dia ainda perceberás que essa tua atitude é ignóbil e vil
E nunca chegarás a lugar nenhum com esse gesto de desamor


sábado, 4 de junho de 2016

MINHA MANINHA GEORGETE


Hoje eu me senti tão pequenina e tão frágil
Diante daquele quadro que se me apresentava
Até pensei por um momento quando me sentia ágil
Nas vezes quando com a minha irmã eu brincava

Mas hoje, olhando-a naquele leito de hospital
A muito custo as lágrimas consegui segurar 
E fico imaginando naquela  pessoa fenomenal
Que em outros tempos ficávamos a conversar

Minha maninha Georgete tão linda e tão amada
Na nossa jornada seguimos rumos bem diferentes
Mas nunca esqueci tuas travessuras bem arquitetadas
Hoje tão próximas, mas a sinto distante, entrementes

Espero em meu bom Deus lhe ver livre de tudo isso
Pois preciso voltar no tempo através de nossos papos
Não medirei esforços, e farei tudo o que for preciso
Para convencer o Homem lá de cima até farei um trato

Pois não pretendo nessa vida feito parva continuar 
Deixando o melhor do tempo escoar por entre os dedos
Quero uns bons momentos com você irmãzinha aproveitar
E dissipar da mente tudo quanto me traga tristeza ou medo



quinta-feira, 2 de junho de 2016

MEU PEQUENO JUAN


Não sei o que falar desta pequenina criatura
Que a cada dia aumenta mais o meu amor
Nele existe uma beleza rara e tão pura
Que faz com que os meus dias tenha outro sabor

Falo do Juan, meu pequeno e lindo netinho
Pois quando o vejo desaparece tudo que for ruim
Ele tem sido a esperança ao longo do meu caminho
Com ele, eu vejo um pouco de alegria para mim

Eu tenho por ele um amor tão grande e especial
Que as vezes percebo nem encontrar explicação
Mas é dele que me vem uma vontade descomunal
De deixar fluir os mais puros sentimentos do coração

Meu pequenino e lindo Juan que eu amo demais
A saudade muitas vezes me entristece de um jeito
Que fico sem entender o que perturba minha paz
Mas eu bem sei que é a sua falta sufocando meu peito

PRECISO DESPIR-ME


Que vontade de despir-me dessa tristeza
Despir-me também desse desencanto
Talvez assim eu tivesse mesmo certeza
Que poderia por um fim nesse meu pranto

Observando hoje o mundo ao meu redor
Sinto que há muito, dele já não faço parte
Perdi da vida todo encanto, tudo ficou pior
Quando pela minha estrada um dia passaste

Quantos sonhos perdidos pela existência afora
Quantas desilusões em muitas lágrimas vertidas
Tudo se perdeu no tempo... No tempo do agora
E de tudo só me restou uma alma triste... Ferida

Um sorriso as vezes escapa sem eu perceber
Talvez seja a esperança que não cansa de insistir
Talvez ainda possa, lá adiante existir um você
Que me fará lembrar que nunca se deve desistir

Desistir de ter novos e lindos sonhos, quem sabe?
Ou mesmo pelas minhas estradas da vida retroceder
Mas na verdade receio que o peso da minha idade
Me faça sonhar outra vez, tão somente com você




quarta-feira, 1 de junho de 2016

EM FRAÇÃO DE SEGUNDOS




CRÔNICA

Ontem, saí com minhas duas filhas, Anny e Kelren e o meu netinho Juan... Resolvemos o que tínhamos ido fazer e na volta pra casa, a mãe de Juan decidiu passar na frutaria para fazer algumas compras.
Ao chegarmos, à entrada da loja, ela estacionou (só que era um pouco enladeirado), eu desci primeiro e fui pegar meu netinho no banco de trás, nisso o carro começou a descer a rampa e a porta do carro me empurrando e eu segurando o meu netinho e a minha filha mais velha tentando me segurar e eu fazendo um esforço descomunal para não cair, e a Kelren com o pé no freio, mas este parou de funcionar, o freio de mão também não deu sinal de vida.
De repente vejo um caminhão que se aproxima e em fração de segundos me vi amassada entre o carro e o caminhão... O desespero tomou conta de todas nós. Mas o caminhão freou e por milagre o carro em alguns segundos também parou...
 Eu fiquei atônita sem entender exatamente o que havia acontecido.Peguei o meu netinho e me afastei do carro, com a nítida impressão que havia acabado de acordar de um pesadelo...
 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios