quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Faltou Sentimentos


Crônica
Um dia você acorda e como num estalar de dedos descobre o que sempre esteve ali e você nunca quis ver... De repente você percebe que sempre foi um par de muletas e até mesmo o saco de pedir... Em algumas situações.
Olhando para trás você ainda pode vislumbrar por todos os acontecimentos passados que sempre foi assim, o problema foi você nunca ter querido aceitar... Acreditar que assim fosse.
Um olhar sereno, raro acontecimento, no máximo desperta curiosidade, se for a tristeza a ressaltar, indiferença ou impaciência. Mas se fores analisar todas as situações , com um certo desgosto tomas a consciência de que nada mais foste ou és que não um par de muletas e nunca um ombro amigo como tantas vezes julgaste...
Sim, um par de muletas, principalmente quando o saco estava rasgado e se fazia necessário alguém para cosê-lo.
É até um pouco aterrador, mas na verdade sempre faltou sentimentos... Faltou amor...
E ainda percebes que o maior erro é dar prioridade a quem nunca lhe viu como tal...

domingo, 13 de setembro de 2015

ENTRE A RAZÃO E A EMOÇÃO


Minha alma foi verdadeiramente  pega de surpresa, 
Embora a minha voz nada conseguiu demonstrar
Tentei buscar na memória dessa afeição toda beleza
Mas meu coração taciturno nada conseguiu encontrar

Fiquei te ouvindo tentando rebuscar na minha memória
Nos momentos por tanto tempo sonhados e também divididos
A razão que havia matado meu sonho de forma tão simplória
Onde mais pareciam nunca na verdade terem um dia existidos

Não me chegou nenhuma paz e nenhum tormento ao te ouvir
Era como se nunca tivesse existido nada entre nós, nem sonhos
Busquei-o nas verdades que um dia eu pensei pra mim existir
Mas estes se perderam no ar como os versos que hoje componho

Não sei se é bom ou ruim o que hoje descobri sem surpresa
Mas meu coração de tanto se enganar decidiu ser  arredio
E assim  tornei-me um iceberg à deriva nessa vida de incertezas
E hoje acomodei a minha alma nesse violento e tenebroso frio

Nunca mais irei sonhar ou simplesmente acreditar em sorrisos
Não  terei audição para vozes melosas ou mesmo sensuais
Criarei um imaginário mundo sem sortes ou mesmo improvisos
Adormecerei tudo o que foi. E novo espaço em minha vida... Jamais





 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios