sábado, 28 de março de 2015

À MINHA AMIGA ESQUECIDA


As vezes somos levadas a nos sentirmos verdadeiras princesas, mas com o passar do tempo vamos descobrindo que não passamos na verdade de meros fantoches enlevadas por falsas palavras... Falsos sentimentos, que não passamos de brincadeiras de pessoas levianas e cruéis. Que agem como se fossem donas da verdade, cheios de empáfias e soberbamente miseráveis, Esta foi a conclusão que cheguei após o relato de uma amiga (irei chamá-la de ESQUECIDA)

Vivia feliz com seus amigos a ESQUECIDA
Até que surgiu em sua vida alguém especial
Aos poucos a afastou dos amigos e daquela vida
Onde ela era feliz de forma simples... Bem natural

Seu mundo se resumia naquele estrangeiro
Que aos poucos começou a sufocá-la
Já não era mais tão amigo e companheiro
E já não sobrava-lhe tempo para agradá-la
Mas ela continuava apesar de tudo iludida
E sentia que seu mundo ainda era esse amor
Mas aos poucos foi percebendo estar perdida
Completamente enganada... Surgiu o desamor
E um dia para finalmente seus olhos ela abrir
Descobriu um pouco por mero acaso
Que ele sem nenhuma razão estava a mentir
Isso para ela foi realmente um descaso
Ficou pensativa sem certeza do que fazer
Se falava da descoberta ou calada permanecia
Decidiu dar mais algum tempo para ver
Se de algum modo aquela história resistiria
Mas certo dia ela percebeu não haver solução
Para a situação que ela pra si um dia criou
Então decidiu por em ordem o seu coração
E mesmo sofrendo pôs fim aquele conto de amor
A marca de amadurecimento na alma ficou
A sua vida anterior aos poucos irá retomar
Pagou alto o preço dessa história, um falso amor
Mas serviu para entender que pouco se deve confiar
Essa foi o relato de uma amiga muito querida
Que já há muitos anos desfruto da sua amizade
Mentiras E enganos,sempre abominou ESQUECIDA
Em sua simplicidade nunca ligou para vaidade
Talvez por isso tenha chamado daquele moço a atenção
Mas ele devia ter sentido que com ela não devia brincar
Iludiu-a em nome de um falso amor, de uma pura ilusão
Mas na vida nem de tudo pode-se realmente se furtar
Ainda bem que teve fim... E tão rápido como começou
Um dia ele talvez perceba o grande erro que cometeu
Ofereceu um mundo de sonhos, e também de falso amor
E mesmo tão sofrida,  essa história ela adormeceu...

O FECHAR DAS CORTINAS


Hoje, às cinco horas da manhã ,meu esposo me liga (ele trabalha em outro estado), pra me dizer que um amigo em comum havia falecido pela madrugada. Não sei explicar como recebi a notícia, me pareceu ser algo ilógico, afinal o cara ainda é novo, acredito ter mais ou menos a idade do meu esposo, talvez um pouco mais, mas com certeza não tem sessenta anos. Passado menos de uma hora, entrei no face dela e fiquei chocada. Alguém já havia atualizado a página... A foto dele e por cima a palavra luto... A ficha caiu... Lágrimas me vieram aos olhos e eu lembrei que no dia anterior ela havia postado que estava feliz... muito feliz,,, Que era feliz... E eu pensei: A vida é um palco mas não nos permite saber o momento final da peça...
Quantas coisas deixamos para o amanhã
Sem pensar que o tempo não nos espera
Vivemos as vezes uma corrida num louco afã
E muitas coisas deixamos entregues à quimera
Chegada a hora... Da vida nada levamos ao partir
O que deixamos para trás pra nós já não faz sentido
A morte talvez seja apenas uma parada nesse existir
Ao menos foi isso que certa vez escutei de um amigo
Essa notícia também me trouxe lembranças à memória
De um alguém que foi muito especial nesse meu viver
Um amigo que me ensinou a criar uma nova história
Mas que infelizmente em poucos meses veio a falecer...
Depois desse episódio, existe um medo que vive a me afligir
Pois sempre acho que aquilo que me faz bem posso perder
E sei que tem quem não entenda esse meu angustiado sentir
Talvez porque nunca teve um amigo precioso vindo a morrer
Eu hoje pensei mais fortemente num alguém muito especial
Alguém que parece não entender o valor real de uma amizade
Pois sabemos que esta vida é passageira... Ela é quase irreal
Que chegado o momento de nada nos valerá essa tal vaidade
Temos sim de fazer enquanto estivermos por aqui
Vamos sorrir pra vida ou mesmo dela zombar
Fazendo o bem sem olhar a quem e nunca fingir
Não mentir, pois é triste viver apenas de enganar
Tentemos melhorar a nossa jornada cá na terra
Espalhando alegria e amor que por vezes retemos
Para o nosso depois não sabemos o que se encerra
Pois a hora do fechar das cortinas nós não sabemos

segunda-feira, 16 de março de 2015

UM LIVRE COLIBRI


HOJE ESTOU ME SENTINDO ASSIM...
NADA MENOS QUE UM LIVRE COLIBRI
E ESTE PARECE TER POUSADO EM MIM
E LOGO MARAVILHAS EU DESCOBRI

DESCOBRI QUE MUITO POUCO É PERFEITO
MAS O QUE HOJE ATÉ MIM CHEGOU
ME FEZ SENTIR QUE O QUE TRAGO NO PEITO
É COM CERTEZA O MAIS PURO AMOR
HOJE ESTOU ME SENTINDO ATÉ FELIZ
MAS OUVIR TUA VOZ LOGO AO AMANHECER
É TUDO O QUE EU ULTIMAMENTE MAIS QUIS
A CERTEZA QUE ESTÁ A PENSAR EM MIM... VOCÊ
HAJA ESPAÇO NO PEITO PARA ENTÃO CABER
ESSA ALEGRIA QUE PARECE JAMAIS TER FIM
E TUDO ISSO SÓ POR EU FINALMENTE ENTENDER
QUE SEUS PENSAMENTOS SÃO OCUPADOR POR MIM

quinta-feira, 12 de março de 2015

EU PRECISO


Eu preciso muito daquele menino que se encantou
Que um dia pela intempéries da vida foi levado
Preciso muito VIDA de você e daquele seu amor
Que um dia em meus sonhos eu o tive subjugado

Em que esfera você se perdeu... Você foi atirado
Que mais nunca esse menino o tive pra mim
Ele sumiu, mas em mim deixou seu rico legado
E por ele meus sentimentos crescem e é sem fim

Um dia com voz entristecida me falasse assim
Que esse menino não sabias onde o havias perdido
Me lembro que lhe perguntei se seria de nós o fim
E  ir em busca desse menino foi o que tive prometido

Mas o tempo tem passado e você não mais o encontrou
Aquele menino se foi, levado pelos encantos da vida
Ou se escondeu com medo da força desse louco amor
Seja lá o que aconteceu,,, Só sei que hoje me sinto perdida

Eu preciso ter de volta aqueles seus risos tão contagiantes
Que tanto bem a mim você sem esforço conseguia fazer
Meu coração muito sente essa ausência perfeita e radiante
E minha vida reclama VIDA... Essa falta tão doída de você








NÃO CALAREI MINHA ALMA


Eu bem sei que há uma certa tristeza em meus versos...
Mas não será por isso que me sentirei assim... Desprezível
Aliás nem versos eu faço, apenas minha escrita empresto
Pra essa minha alma tresloucada e nenhum pouco indizível

Neles há tanto de mim e as vezes não há nada eu confesso
Nessas palavras que saem da alma num débil sussurro
Elas são escritas e no tempo as envolvo e até as arremesso
Num desprovido sentimento que se perde num calado urro

Não calarei minha alma... Nem seus gemidos desprezarei
Pois tudo nela me soa tão puro e majestosamente infindo
Que me condenem, mas meu pensar por certo, não mudarei
Pois o sentimento que trago na alma, sempre será bem-vindo

Meus pensamentos se contradizem... Mas meus sentimentos não
Não adianta eu querer mudar ou dar outra forma ao que sinto
Pois o que retenho na alma apenas deixo esvair pelo meu coração
E acreditem é algo lindo, puro, imensurável... Eu juro... Não minto

Que dite a minha alma o que quiser, pois eu nada tenho contra
Que deslize a caneta pelo papel de modo sempre sincero e preciso
O coração apenas é uma ponte entre a alma e o que ela apronta
E apenas eu entendo o que ela me faz... Pois a tudo ela dá sentido

sexta-feira, 6 de março de 2015

JÁ NÃO HÁ TEMPO



Eu queria muito poder desatar esse nó
Mas sinto ser em vão qualquer tentativa
Por mais que me engane sempre estou só
Relutando sempre como uma criança perdida
Como dói me sentir assim... Triste e sem vida
Buscando em desespero o que me faça bem
Pois esta vida vazia e as vezes, assim... Destruída
Apenas não revela o que vai de mim mais além
Eu sempre só e tantas vezes percebo, vazia
Não me deixa por ti mais algum tempo esperar
Mas eu insisto pois és tu da minha vida a alegria
Pois és tu... o único ser que eu ainda consigo amar
O que fazer com a minha mente neste momento
Que embriagada se debate tão triste e tão só
Quem sabe eu conseguisse me livrar dos tormentos
E fugisse para longe onde de mim o tempo tivesse dó
Mas é inútil eu sei, pois nesta minha longa caminhada
A que braço me terei apoiada sem medo, sem dor
Se foram tão amarguradas até aqui minhas passadas
Já que não consigo libertar-me da força desse teu amor
Preciso de uma vez por todas a minha vida resolver
Se até hoje não consigo te esquecer nem deixar de te amar
Só me resta pedir ao destino que interfira ente eu e você
Pois a caminhada é longa e já não há tempo pra te esperar

terça-feira, 3 de março de 2015

SONHOS INACABADOS


Eu queria conseguir acreditar realmente
Que eu ainda haverei de ser muito feliz
E seria tão bom acreditar simplesmente
Nas palavras que um amigo assim me diz
Talvez estivéssemos a falar de felicidades diferentes
E até confessaste ter sido difícil chegar onde estás
Mas reafirmo e até me sinto um pouco intransigente
Mas felicidade, hoje pra mim, é igual a: Aqui ficarás
Não tenho projetos ambiciosos... Nem deveria...
Minha alegria consiste em sonhos inacabados
E se isso continua... Me resta passageiras alegrias
E a certeza de que meus sonhos ficaram inacabados
Muitas coisas na vida são de fato impossíveis de ver
Seria a paz em definitivo reinando sobre o mundo
Eu ter realizado meu maior sonho VIDA... Ter você
E poder dizer sem medo, sou feliz... de modo profundo
Pensei muito no que me escreveste menino amigo
Mas confesso que apenas um teu pedido hei de fazer
Dar essa outra forma à tristeza. Um jeito que faz sentido
É rasgando a alma e deixá-la sangrar apenas ao escrever
 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios