sexta-feira, 30 de março de 2012

Perder ou Ganhar


À Minha Amiga Jane


Estou me sentindo lesada
A vida mais uma vez me enganou
Minha alma sangra, magoada
E nem sei se foi excesso ou falta de amor

Só sei que dói, embora as vezes me faça rir
Dói pois me deixei enganar, como menina
Me deixei iludir... Me deixei seduzir
E eu fui verdadeira, em nenhum momento fui fingida

Mas o destino que gosta de pregar peças
Mais uma vez comigo decidiu brincar
E ficou me observando pela fresta
Me vendo rir sabendo que eu ia chorar

Mas eu consegui mais uma vez sobreviver
Não importando o preço que tive que pagar
Mas são coisas que na vida não dá pra esquecer
Fui tentar ser eu mesma, sem querer me mascarar

Mais uma luta perdida... Eu tive que ceder
Precisei ser forte para diante de ti não vacilar
Ainda bem que não demorou, e eu tive que rever
Meus conceitos sobre quando perder ou ganhar

AMOR VIRTUAL


Categoria: Conto

Jane vivia em seu cantinho sem nenhum tipo de emoção. Pacata, sem amor, sem carinho, sem nada que a motivasse a sair daquela mesmice. Mas um dia aconteceu... De repente ela percebeu as cores a sua volta, o som da natureza conseguia penetrar naquele coração sem razão aparente para existir, naquela vida sem sabor.
Tudo começou quando ela sentiu necessidades de viver. Estava cansada daquela existência insípida. Talvez por ser tão amarga nunca percebeu o tudo que se passava em derredor... O tudo que ia passando por ela, principalmente o tempo... Os anos implacáveis a castigara sem piedade. Mas isso era algo que ela nunca se importou. Nunca... Até aquela tarde, que inexplicavelmente sentia algo diferente, eu diria quase uma estranha necessidade de amar e ser amada. O vento do desejo passara e a tocara lubricamente, deixando-a mais jovem, mais atraente. A sede da vaidade a deixa mais sedenta, a fome da satisfação a põe inquieta. Seu olhar tem um novo brilho, seu sorriso está adornado de lábios sequiosos. Não há como evitar sinais dantes ignorados. Ela percebe que à sua porta bate o anseio de sentir-se feliz, realizada.
Sua fisionomia, agora sonhadora, parece destoar de tudo que faça parte do seu mundo. Surge então uma dúvida: Como viver tudo aquilo que se lhe apresenta? Se faz necessário arrebentar as correntes que a aprisionam dentro de um mundo sem maiores ou melhores expectativas. É preciso se decidir. Diz um ditado que "um raio não cai duas vezes no mesmo lugar", assim como o amor não bate à porta insistente. Ela quer dar uma nova oportunidade, uma nova chance de poder dizer que está feliz... Que pode finalmente ser feliz.
Olha o computador e sorri intimamente, seu amor está ali... Do outro lado, esperando-a, como acontece todas as noites e todas as manhãs.
"Boa noite amor, já chegaste?"... Ela vibra de felicidade... O seu amor a está esperando mais uma vez. De repente, um sobressalto. Lhe ocorre uma pergunta: "até quando ele estará esperando-a?: até quando poderá se sentir feliz com aquele amor virtual?", não sabe, apesar da tristeza que insiste em tocar a sua alma, ela procura esquecer. é melhor não pensar nisso... É bom não deixar nenhum momento negativo tocar o seu coração.
Nisso lhe chega uma mensagem... Amor, boa noite! um poema pra ti.
Emocionada ela lê e uma alegria imensa invade a sua alma. Cada palavra tem o dom de fazê-la esquecer tudo quanto pode macular esse momento.
"Jane, amor....

ENCONTRO

Nos olhamos intensamente
descobrindo segredos
transportando almas...
Foi um toque simbólico
de mãos, de lábios, de corpos
Um amor sugerido
loucamente emocionado
totalmente proibido
Em seus olhos vi doçura
vi encanto, vi ternura
Em sua boca li palavras
docemente... sufocadas
Na magia desse encontro
Vibrou uma música interna
regendo nossas emoções...
Como se fosse uma festa
particular e secreta
só de nossos corações....
Logo abaixo vem o desejo expresso...

Um beijo molhado em teus lábios.

Ela exulta de alegria, sente-se amada... Desejada, sente-se mulher.
Desliga o computador e vai dormir, amanhã será um novo dia... Trabalho e mais trabalho, até a hora de voltar pra casa e esperar por mais um boa noite. Dorme tranquila sem perceber que tudo aquilo não passa de uma fantasia, um lindo sonho que a fará acordar. E nesse dia ela voltará a ser a mesma de antes, amarga e infeliz... Sempre só, sem amigos, sem parentes, somente ela e a sua dor, mas haverá uma diferença, haverá um amor para recordar, mesmo sendo virtual, e ninguém sabe se isto a deixará mais infeliz ou não.

quarta-feira, 28 de março de 2012

MEU BEM QUERER


Que sensação de paz me invade
Não pensei que tudo iria mudar
Meu dia foi aziago e, debalde
Nada conseguia me alegrar

Mas agora depois de falar em você
Sinto que algo de todo mal me libertou
E outra vez estou feliz,só por te querer
Meu peito, por ti, se faz só de amor

E a doce ilusão a encher o meu peito
E dessa forma vou te querendo sem temer
De tudo o que acontece na vida, o perfeito
Ainda sinto foi poder um dia te conhecer

E nessa ilusão que tanto bem me faz
Vou te amando sem pensar no amanhã
Pois de tudo que existe nada me é capaz
De deixar de viver nesse louco afã

Te quero com loucura... Com paixão
E sinto que nada eu preciso temer
Por amor te entreguei meu coração
Pois eu creio que és meu bem querer

PAISAGEM DE SONO


Eis que chegou o outono
Deixando a paisagem
com cara de sono.
Porém no mais completo abandono
Ficou eu... Sem ti

É chegado o tempo
Mudou a estação
E o sopro de um frio vento
Deixou gelado o meu coração

Nessa troca de estação te perdi
E o inverno em mim se fez mais cedo
Pois nessas estações o que me marcou
Foi o momento em que te conheci
E agora, desse triste inverno sinto medo

Por que deixaste o vento do desconforto
sobre mim?
Confesso que isso eu não esperava
Marcasses a minha vida quando
puseste um fim
Matando a esperança que em mim se renovava

Que direi a minha pobre alma agora
Que inconformada com a tua decisão
Se lamenta... Pranteia... E como chora
Mergulhada em profunda solidão

Que farei? diz a mim afinal
Como poderei sorrir quando tudo
se desfez
E num golpe do destino
amargo e crucial
Choro mais uma vez
Por sobre as ruínas
que deixaste ó menino

segunda-feira, 26 de março de 2012

Paradoxo


Quisera poder voltar no tempo
E por ti fazer-me esperar
Deixar-me ser acariciada pelo vento
E de olhos fechados te sentir a me amar

Quem dera eu pudesse fazer o tempo voltar
Quando nos muitos momentos como num sonho
Ansiava por tuas palavras, teus versos a rimar
Mas hoje apenas dessa tua saudade eu componho

Vivo sonhando acordada e esperançosa a buscar
Ouvir uma mensagem ou mesmo a ter para ler
E mesmo insistindo em nunca cansar de esperar
Sei que hoje em dia, coisas melhores tens a fazer

Mas foi contigo que um dia eu vim a aprender
Que não se deve nunca do que nos faz bem, desistir
Talvez por isso eu ainda insista em querer reviver
Tudo quanto um dia me ensinaste, mesmo sem eu pedir

E estarei aqui até que se anuncie o momento final
E eu perceba ser em vão continuar a esperar
Pois já não terei mais tempo, este me será crucial
E então terei morrido sem ao menos te poder falar

Mas grave o que hoje escrevo especialmente para ti
Saibas que o amor foi forte e nunca foste esquecido
Em outro plano, talvez eu possa ainda insistir
E fazeres entender que por tudo me foste imerecido

Era bom demais para seres ou te deixares entender
Não importando o quanto te sentiste por mim amado
Nada mais eu sei que poderia por nós algo fazer
Nosso tempo infelizmente... Para mim havia acabado

Partirei e creio que nunca entenderás o que aconteceu
Foste o que pude chamar de milésimo de vida bem vivenciado
Mas hoje nesses momentos finais... Meu espírito já morreu
Mas meu pensamento te busca pelo espaço de modo desesperado

Foste o meu maior instante de loucura... E de grande ilusão
Contigo senti o que na minha vida busquei, mas nunca chegou
Foste o bálsamo que a mim veio e fez morada no meu coração
Foste para mim um paradoxo... Minha maior alegria e a maior dor

Agora que não mais te tenho, como nunca o tive, bem sei
Entreguei-me de corpo e alma sem mesmo perceber
Que fantasias se desfazem... Mas essa verdade eu repudiei
Me era importante te ter antes que eu pudesse morrer

Hoje porém morri... Sem que isso eu pudesse evitar
Morri sozinha, longe dos teus braços e do teu amor
Morri tão triste, não querendo a verdade aceitar
Exalei meu último suspiro, esperando pores fim a minha dor

Mas foi inútil...Em teus braços matei o que nunca vivi
Em tua boca roubei a tua alma enquanto a minha eu perdia
Desfiz meu sorriso pra viver o teu riso, em ti tudo senti
Perdi a vida que um dia me deste mas em mim repousa tua alegria

Foste meu instante único de emoções e grande prazer
E eu na minha lucidez, nada mesmo percebia
Já que pra mim nada fazia sentido nem tinha o poder
De arrastar para o que não existe a minha fantasia

Te perdi... Quando eu mais precisava te foste de mim
Hoje, nessa minha derradeira esperança vejo morrer
O que da tua boca colhi e que me seria mortal, o meu fim
Morri... Para que finalmente pudesses em mim viver

sábado, 24 de março de 2012

ME PERDI


Minha alma chora de saudades
E meu peito se arrebenta de dor
Um sofrimento louco... Sem vaidade
Nesse silêncio absoluto do teu amor

Entre perdido e contrafeito, meu coração
Vai minguando de dor numa ânsia sem igual
Se esvaindo como prurido fétido e sem razão
De uma fissura que se aprofunda descomunal

Meu amor... Era amor enquanto eu não sabia
Me pegou desprevenida ao me fazer entender
Que durasse um século ou um segundo essa alegria
Pois seria quase perfeita pois ela vinha de você

E no entanto na beleza de um momento se perdeu
O maior e o mais belo sentimento que já conheci
Esse amor cresceu em demasia, mas logo desvaneceu
Como numa noite nebulosa de inverno eu me perdi

E perdi o que na vida como louca sempre busquei
E mesmo assim me sinto feliz porque ainda o tive
Foram momentos imaginários que me deste e eu te dei
Foi bom enquanto durou, pois entre nós nada mais existe

quarta-feira, 21 de março de 2012

Harém Virtual




Num certo harém, muito bem escolhido
Muitas mulheres,passaram a fazer parte
Para esse sultão tudo lhe era permitido
E tudo ele sabia fazer com muita arte

E mesmo sendo um moderno harém virtual
O tempo desse sultão, ainda é resumido
Não sei se a todas ele tratava por igual
Pois isso era algo por todas desconhecido

Com ele se aprende a ser feliz bem rápido
Esse deve ser o segredo de um expert sedutor
Mesmo na era da tecnologia tudo se acaba rápido
Pois são pra muitas pra ele dispensar tanto amor

Então eu ouvi alguém comentar certa vez
Por que razão será que ele distribui tanto amor?
Muitas fazem parte desse harém por carência, talvez
Mas e o sultão? deve ser pra sufocar alguma dor...

Seja lá o motivo que ele tenha pra agir assim
O certo é que tudo tem razão para um começo
Ele deve ser como um bálsamo,até a hora do fim
Mas isso também é algo que de momento desconheço

Não importa o tempo que dure ele se sentindo um sultão
Nem tão pouco se vez por outra, alguém venha a sofrer
Ele se apropriou muito bem dessas mulheres e de cada coração
Que hoje(não sei amanhã), sem ele muitas acharão difícil viver

segunda-feira, 19 de março de 2012

NÃO FOI APENAS ISSO




De repente senti um vazio enorme
Desses que assusta só de pensar
E o pior, é que esse vazio tem nome
Que de momento não quero mencionar

Eu pensei que nunca mais iria sentir
Essa angústia que parece me asfixiar
Mas ao pegar meu mundo e por ti reduzir
Condenei-me a uma vida de apenas esperar

Esperar que queiras me fazer feliz
Que tenhas pra mim tempo e atenção
E não foi apenas isso o que eu quis
Ao deixar que entrasses em meu coração

Mas me abandonas nesse conto imaginário
Sem perceber o tumulto que em mim cresce
Por ti fiz da minha alma um delicado relicário
Para que depositasses o que mais te enobrece

Mas a minha alma esta completamente vazia
Nela já não depositas mais o que foi sonhos
Só duras verdades que não me trazem alegrias
Antes torna o meu pesar bem mais medonho

Onde se escondeu aquela alma generosa
Que em mim semeou esperança e amor?
Esperanças de horas amenas e calorosas
Longe de tudo que pudesse representar dor

E em cada palavra, amor deixavas eu colher
E hoje eu sinto já mais nada resta pra mim
Só essa saudade dolorosa ao não sentir você
É quando percebo o quanto está perto do fim

Nunca imaginei que isso pudesse me acontecer
Viver na vã esperança de um pouco de alegria
Viver sonhando... Buscando em tudo... Você

Sempre acreditando que irás salvar o meu dia

ETERNA CRIANÇA


Ainda tem coisas na vida que nos dá prazer
Feito uma certa pessoa que eu conheço
E do qual o nome todos já devem saber
E genro como esse só eu mesma mereço

Eterna criança... Uma boa razão pra nos darmos bem
E quando necessário o homem sério vejo-o despertar
E vemos o homem amigo, generoso e altruísta também
Uma grande criatura que respeitosamente aprendi a amar

Eis o tesouro que Deus a minha filha Karen presenteou
Embora nós sabemos que nem tudo no mundo é perfeito
Moisés também é um simples mortal que há muitos já calou
Mas isto é também uma qualidade nesse seu determinado jeito

Obrigada Momó, por fazer parte das nossas vidas
És realmente muito precioso para todos nós
E eu tenho certeza que por Deus foi tua mulher escolhida
Só nos falta vocês também nos presentearem como avós

TALVEZ



Eu não sei o que há comigo
As vezes me sinto inatingível
Em outras procuro por um abrigo
Me sentindo frágil, quase invisível

No coração as vezes grita a alegria
Em outros momentos ele chora de dor
Eu nunca imaginei como difícil seria
Colorir a vida com um pouco de amor

Nas lembranças um amargo soluço de mulher
Que na busca pela paz a criança liberta
E se sou regida por um sentimento qualquer
Não culpo ninguém, é o que a vida me empresta

Mas tem vezes em que me sinto pequenina
Numa fragilidade e carência de dar dó
É quando eu liberto essa eterna menina
Que da vida... Ela sempre teve o pior

Agora mesmo estou me sentindo assim
Triste e sem saber bem o que fazer
Talvez nem tudo fosse difícil pra mim
Se em minha vida nunca aparecesse um você

domingo, 18 de março de 2012

RECEIO




Eu ultimamente tenho me sentido muito feliz
Mas receio que toda essa minha alegria
Quando eu menos esperar (algo assim me diz)
Que de alguma forma acabará essa minha fantasia

Mas por hora quero apenas viver
Toda essa loucura que vivo a buscar
Se de verdade não posso te ter
Que na imaginação possas me amar

E no dia que tudo isso tiver que terminar
Espero que seja num meu momento final
Levarei as lembranças de quem me fez sonhar
Para a minha longa viagem sepulcral

Mas até chegar esse momento
Quero sentir-me amada com loucura
Viverei as glórias e os tormentos
Desse amor que no tempo não perdura

NOVA VIDA



Aos Futuros Papais:
Kellen e Ernandes Junior


A vida sempre nos reserva surpresas
As vezes uma são boas e outras más
Umas nos deixam bobas... Caretas
Acredito até que já deu pra desconfiar

Então alguém resolveu nos presentear
E este acontecimento já está a caminho
O que a vida de todos só fará alegrar
E eu ainda não sei se é neta ou netinho

Mas o que está chegando,seja lá o que for
Menino ou menina, na verdade não importa
Sera muito bem-vindo e recebido com amor
Pois é um presente que a todos conforta

Eu sei que ao chegar se fará uma apreciação
E que para ser visto muito trabalho nos dará
É que por certo encandeará de todos a visão
Pois será mais branco que os pais, podem acreditar

Que cada momento de vocês nessa nova vida
Se faça de forma única e muito ordeira
E todas as alegrias possam ser vividas
Em perfeita comunhão com a família inteira

sábado, 17 de março de 2012

Reconheço



As vezes me entristeço com um vento de mau jeito
Desses que sopram sem olhar a direção
Infelizmente para o que trago no peito
Um vento de esquerda machuca meu coração

Sou tola, eu reconheço e não nego
As vezes as coisas acontecem assim
Erro quando no auge me manifesto
Não percebendo do vento a direção, só o fim

Acho que o meu peito de alegria se excedeu
E infelizmente de tristeza eu o vi chorar...
Mas ele é bravo... dessa também não morreu
Talvez fosse melhor ele parar de sonhar

As vezes, algo que nos parece insignificante
Tem o dom de no mínimo nos atordoar
Talvez a insegurança nos torna asfixiante
Então o melhor é deitar no travesseiro e chorar

quinta-feira, 15 de março de 2012

NÃO LAPIDASTE

Ao Amigo Ricardo Carvalho




A vida não é como tu pensas
Nem tão pouco o amor é assim
Pois qualquer coisa que tu inventas
Só te encaminhará para um fim

Amigo... Amigo, que tens feito da vida?
O amor a sua porta bateu... E não visses
Esquece essa forma de viver tão atrevida
Faça de conta como se outras não existisse

Pra que enveredar por esses caminhos
Se o amor a tua porta um dia bateu
Foste cego... Terminaste assim... Sozinho
Deixaste um amor bonito que no tempo se perdeu

Como podes agir assim dessa maneira?
E ainda queres que eu acredite em teu amor
Perdeste o que poderia ser pra vida inteira
Eu sinto muito, mas fica só com a tua dor

Um dia quem sabe ainda aprendas
A querer o que realmente tu amas
Por enquanto fica com as tormentas
Que eu sei no teu peito nem inflama

Ricardo eu sei que és um bom menino
Cresça e adquira um pouco de juízo
Pra que leviandade se esse cinismo
Só vai te transformar num perdido

Deixa o amor entrar de mansinho
Procura a este sentimento dar tudo
Pois duas vezes não brilhará em teu caminho
Esse ouro que não lapidaste, e era puro

quarta-feira, 14 de março de 2012

É O PROBREMA


Categoria: CRÔNICA


Ao Jurandy Gomes


Um jovem um pouco impaciente... Um tanto quanto estressado, conversa ao telefone. Fico admirada, pois mostra-se bastante inteligente. De repente o estresse se acentua... O trânsito está um caos... Um inferno eu diria. Ele questiona a impaciência do interlocutor... É muito dinheiro envolvido naquela transação. Ele não compreende nem aceita a falta de paciência do outro, pois ele estava conseguindo resolver o problema em praticamente dez dias, enquanto que o outro em três meses não conseguira concretizar a negociação e ainda assim, por menos dinheiro. Ele já está agoniado, tem um compromisso e vai chegar atrasado. O que falta acontecer para ele se estressar mais...Imagino eu que nada.
De repente algumas mulheres que estavam no ônibus se levantam pra descer... Estão conversando... Eu diria um linguajar pobre... Este moço se vira pra mim indignado e um pouco exaltado começa a criticar os erros de português que saltavam aos olhos(ouvidos). Olha pra mim e diz:
- Não admito que se fale errado desse jeito... Imagine que estávamos certa vez reunidos, eu e alguns companheiros e eu não pude me conter diante de um advogado que fala sobre a questão de um probrema... Meus ouvidos se rebelam... Me levanto alegando necessidade de sair, então alguém me pergunta: - Mas já vais? o que houve? _ Eu respondi indignado é o probrema meu amigo... O probrema... Um dos amigos(advogado também) riu e disse: - Entendi o probrema jurandy. Levantou e acompanhou o amigo.

terça-feira, 13 de março de 2012

CRUEL IRONIA



Tenho a alma eterna incompreendida
No pensamento um grande dissabor
As marcas cada vez mais sentida
E no peito a amargura do desamor

Foste tão furtivo... E eu nem percebi
Plantaste a semente da ilusão
Mas o desgosto e a tristeza logo senti
Ao magoares profundamente o meu coração

E pensar que eu vivia tão bem fingindo
Pra que foste surgir no meu viver?
Se apenas estavas algo diferente curtindo
Por que para me ferir tinha que ser você?

Foste a grande descoberta, meu poeta sedutor
E eu como uma adolescente, me deixei encantar
Pelas tuas belas e falsas palavras de amor
Que cruel ironia... Por ti fui me apaixonar
ATENÇÃO



O X CAPÍTULO DE VOLTA AO PASSADO


JÁ FOI POSTADO

segunda-feira, 12 de março de 2012

EM MEU PEITO




Um frio torturante e aziago me toma de repente
E a tua ausência que se faz grande em mim
Se fecho os olhos surges a minha frente
Tornando meus momentos em espera sem fim

Quantas vezes pelas insones madrugadas
Parece-me senti-lo quieto ao meu lado
Tento abraçá-lo,é em vão,encontro o nada
Apenas o silencio aceita o meu afago

Minha alma bem mais desencantada
Acompanha em silêncio o meu padecer
É que a saudade dói mais de madrugada
Pois ela não traz pra junto de mim você

Enquanto dormes... Talvez a sonhar
Um alguém suspira do outro lado
E acordas com a alma a sorrir e cantar
Já em meu peito o grito se faz calado

OBSCURO E FÚTIL




Esta noite será em vão eu tentar
Expressar o que minha alma sente
Com certeza nem pra mim ouso falar
Tenho medo de saber que me mentes

Procurei ocultar os meus receios
Mas penso que será inútil...
Minha mente se perde nos anseios
De teu sentimento obscuro e fútil

Como poderei viver um sentimento
Que me encanta e também desnorteia
E temo a cada novo momento
O final de tudo que me enleia

Viver assim as vezes é ruim
Pois nem sempre me sinto feliz
Querer-te só para mim
Implicou em não ouvir o que eu quis

Mas mesmo assim ainda insisto
Em querer ser feliz outra vez
Viver por viver não quero, eu desisto
Seria aceitar a tua desfaçatez

APENAS ILUSÃO




Receio que nosso romance virtual esteja no fim...
Me tens todos os dia por inteiro,
Mas não chegas por completo até mim
As vezes nem te sinto companheiro

Me queres com loucura e até com paixão
E esse teu amor que me tens declarado
As vezes pressinto que seja apenas ilusão
Desse meu coração que já foi tão castigado

Podes até me querer... Mas como poderei ter certeza
Se este teu amor não será apenas uma fuga ou deslize
De algum momento onde o inevitável da vida, a beleza
Em teu caminho já não brilhe... Como antes não persiste

Talvez olhando para trás possas vislumbrar
O que ainda possa te encher de prazer
E sozinha eu ainda continuarei a buscar
Qualquer coisa que me faça te esquecer

Não posso permitir em mim tanta loucura
Acredite... Será bem melhor assim
Foi bom enquanto durou tanta ternura
Mas creio que será melhor que haja um fim

Pensando bem... Não creio que seja possível de fato
Tanto amor entre dois seres que nem se conhece
Não me tomes por arredia, nem meu amor por ingrato
Apenas esqueçamos os fios que o destino tece

E verás que fora de mim voltará o brilho
Que um dia por mim possa ter sido ofuscado
Só quero que seja feliz, já meu coração andarilho
Jamais esquecerá que virtualmente o tive nos braços

Foi amor a primeira palavra... A primeira mensagem
Nem imaginas quanto bem ao meu mundo fizeste
Por ti adornei-me com uma nova e sensual roupagem
E hoje encerro nesses versos todo amor que tu me deste

domingo, 11 de março de 2012

Fingir Ou Mascarar





Cheguei já faz algum tempo
Mas não me senti muito bem
Nem mesmo as carícias do vento
Deixou-me feliz também

Alguma coisa diferente...Eu mesma notei
Falta-me algo, falta, e eu já sei o que
Confesso que nisso eu nunca pensei
É que está faltando pra mim... Você

Aqui já não tem a mesma paz
Incomoda sentir-me assim
A tua ausência, tristeza me traz
Preciso mais de você junto a mim

Engraçado como a vida nos trata
Eu pensei que isto não acontecesse
Mas essa solidão me é muito ingrata
E eu queria que isso você entendesse

Eu queria te sentir mais livre
E pudéssemos algo mais partilhar
Mas as amarras infelizmente existe
E é preciso fingir... Ou mascarar

Como eu queria poder sentir
Tuas mãos às minhas entrelaçadas
Teus braços num suave fremir
E tua boca à minha colada

Deitarmos e juntos ficarmos
Aconchegados num suave prazer
Sentir teu corpo ao meu pressionado
E simplesmente me chegar mais a você

Esquecer qualquer coisa que fosse ruim
Apenas tocá-lo e sua ternura sentir
Sabê-lo ali... Somente pra mim
Sem nada que esse momento pudesse destruir

Eu te quero mesmo assim... Só pra olhá-lo
Poder te tocar, mesmo na simplicidade
Carinhosamente poder abraçá-lo
Esquecendo toda e qualquer vaidade

Somente pelo simples prazer te tocá-lo
Sentir seu corpo, mesmo repousando
De leve ainda poder acariciá-lo
Sem precisar de todos estar ocultando

SIMPLESMENTE AMO




Amo o sol... Amo a terra,
Amo a natureza
E quase tudo o que ela me dá
Amo infinitamente essa liberdade
Que me faz conjugar o verbo amar

Amo estar apaixonada
Amo a riqueza da minha idade.
Amo até tu que nem conheço
E de quem nem ouço falar...
Amo-te mais pelo que desconheço
E pelo tudo que eu possa imaginar.

Amo simplesmente... A vida
E tudo o que nela eu tenha pra viver
Amo essa paz radiosa e infinita
Que o meu imaginário busca em você...

Amo o sussurro dos ventos
Que me leva a outras paragens
Que nem ouso de momento falar...
Amo essa alegria que me fazes sentir
Amo na verdade, tudo o que a vista alcança
É que nisso tudo você está...

Amo até mesmo o próprio tempo
Pois até ele resolvi aceitar
Amo o tudo que essa palavra encerra
Amo tu... Em todo tempo e lugar
E amo reconheço até mesmo a mim...
Pois foi contigo que aprendi a me amar

BOM DIA CORAÇÃO


Bom dia coração!!!

Hoje amanheci mais contente
A melancolia de ontem...Se foi
É a chuva que está me saudando
E o tudo mais, deixo pra depois

Mas que combinação mais perfeita
A chuva que cai mansamente
Lavando a minha alma também
Depois de uma noite inclemente

Os pássaros permanecem calados
A chuva quebra o silêncio com um trovão
Meu íntimo ansioso palpita feliz
E exultando eu o saúdo...Bom dia coração

Que o teu dia seja mais que perfeito
E que a saudade se faça por querer
E tu coração bata firme no meu compasso
Que eu quero cuidar muito bem de você...

sábado, 10 de março de 2012

Nas Garras Do Imaginário



Hoje a tarde bateu-me uma tristeza
Dessas que não se consegue explicar
Será que o meu estoque de alegrias acabou?
Me sinto sufocada... Parece que estou presa

Presa talvez nas garras do imaginário
Sentindo uma saudade não sei do quê
Ouvindo sons... Sentindo os toques
Que hoje imagino receber de você

E inexplicavelmente você vem chegando
E o teu sorriso doce e embriagador
De algum poema perdido, me faz lembrar
É que teus olhos me falam só de amor

Meu olhar se confunde nessa brasa acesa
Que teu olhar como labareda vem me tocar
Me sinto queimando e com um doce sorriso
A tua sequiosa boca meus lábios vem esmagar

quinta-feira, 8 de março de 2012

Doces Palavras




Me tornei inquieta de repente
E percebi o fogo da paixão adormecer
Já não me senti mais, tão contente
E o culpado disso tudo é você

Olhei e não vi mais o brilho
Das estrelas e do luar
Estava tudo esquisito
Não consegui te encontrar

Meu semblante denota tristeza
Nessa falta que vivo a sentir
Meu olhar já não tem a beleza
Se doces palavras não vens proferir

Que eu desperte do pesadelo
Que parece nem ter fim
E meu corpo num mudo apelo
Pede que venhas para mim

E esse sentimento a me consumir
Me fazendo de desejos delirar
Então o ouço chegando e num fremir
Compartilhas desse meu sonhar

quarta-feira, 7 de março de 2012

ESSAS RUGAS






Essas rugas, hoje percebidas
Não são nenhuma marca qualquer
São marcas profundas e adquiridas
Nesse meu longo estágio de mulher

Longas noites em claro por alguma razão
Som de choro, que inevitável me despertava
São os acúmulos de risos e choros no coração
Que por vezes eu mesma em nada acreditava

As preocupações com o bem estar da prole
E os desejos do esposo e o seu jeito de amar
Anseios por cada sonho que o destino tolhe
Tristezas com a vida que tão bem soube me maltratar

Essas rugas que hoje aceito tão naturalmente
Até ontem, rios de lágrimas por elas eu soube despejar
Mas são elas que testemunham de fato e tão somente
As muitas angústias que um dia me fizeram chorar

São essa marcas que até me fazem de tudo me orgulhar
Pois cada sulco esconde os muitos segredos
E os muitos sonhos que pela vida tive de guardar
São elas finalmente que me mostram que venci os medos

E delas nunca vou poder com razão me queixar
Pois com orgulho digo: Cada uma me fez crescer
E cada lembrança guardada, só faz acrescentar
Que compreendo o valor que elas têm no meu viver

domingo, 4 de março de 2012

FALTA EM TI




Pensamentos intranquilos,
Com ousadia vêm me despertar
Meu coração... Nem posso ouvi-lo
Está em silencio, não quer falar

Corpo cansado...Precisa repousar
Os sonhos quase sempre perturbadores
Que eu sei, nunca os poderei realizar
E trazem na essência todos os estertores

Os estertores de quem se deixa sonhar
De quem padece, sem sequer pressentir
Que nem sempre, conjugar o verbo amar
Está no nós... Falta em ti esse sentir

Mas que sobreviva o que existir de melhor
O eu... O tu, ou quem sabe, até o nós
Vivermos intensamente o que não seja o pior
Mas o que for mais prazeroso entre os lençóis

sexta-feira, 2 de março de 2012

ME DEIXAR AMAR


Os meus pensamentos
como folhas ao vento
deixei-os voar...
Hoje, num corpo submisso
desejos subjugados
Me tiram o ar...

Vontades... Muitas perdidas
que na calada da noite
ousam despertar...
E nas mãos atrevidas,
carícias contidas
desejam tocar...

Me sinto querida
e como doce menina
preciso pensar...
Que vontade que sinto
de enganar o próprio tempo
e só me deixar amar...

À IZABEL MALTA


Minha vizinha da esquerda
É um doce de criatura
Nem tenho com quem a comparar
Pois ela tem a alma muito pura

Sempre solidária e muito tranquila
Também muito dócil com os animais
Se eu tivesse mais vizinhas assim
Os problemas se tornariam banais

Incapaz de fazer uma maldade
E dela nunca ouvi nada ruim
Pra ela tudo está sempre bom
Todos querem uma vizinha assim

E o seu jeito me lembra uma criança
Tão cheia de vida e risos também
Que a paz e a alegria sempre perdure...
E que família abençoada minha vizinha tem!

quinta-feira, 1 de março de 2012

Te Esperando


Que barulho será esse
Que insiste em me perturbar?
É o som dos meus pensamentos
Que eu não quero escutar...

Que sensação será essa
Que insiste em me visitar?
É a minha alma que de alegria
Não consegue silenciar...

Que brisa insistente será essa
Que insiste em me acariciar?
É você que minha pele arrepia
Te esperando só para amar...

INIGUALÁVEL


Nessa manhã ensolada e sem nuvens
Meu peito em silencio arde no querer
Querer num novo e autêntico projeto
Querer simplesmente imaginar um você

Sentir na pele, trazida pela brisa
As carícias que não veio, mas que ficou
Aquele sentir que não nos deixa indecisa
Aquilo que se quer e que só se imaginou

Um sentir de posse... De êxtase imaginável
Num desejo fremente e impetuoso também
E nessa realização nunca dantes inigualável
Poder adormecer em teus braços meu bem

Não Quero De Outro Jeito





Eu hoje acordei exatamente assim
Vendo um céu maravilhoso, de brigadeiro
Rindo da vida... Só não rio de mim
Já que me sinto feliz por inteiro...

Eu hoje vou me sentir exatamente assim
Como o som de cada pássaro que canta livre
Como as borboletas que por hora pululam no jardim
Ou como quem acha que a maldade não existe

Hoje, eu vou estar assim... Feliz e esperançosa
Achando até que todos são bons e perfeitos
Me sentindo linda, deslumbrante e radiosa...
Amanhã eu quero estar assim... Não quero de outro jeito

Aliás... Eu vou querer me sentir sempre assim
Viva... Livre... Deixando um rastro de felicidades
Por onde eu passar... Encarando o início,o meio e o fim
Esquecendo do tempo... Sem esquecer minha sonhada liberdade
 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios