segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Meu Eterno Carinho



Ao meu amigo Gibson Rocha

Essa semana foi o seu aniversário
E me lembrei sem muita fantasia
Que a vida são como contas de rosário
E com elas chegará também a nostalgia

E eu sei que você meu querido amigo
Haverá de ter muita coisa para lembrar
E ouça bem o que hoje aqui lhe digo
Pior seria não ter nada para recordar

Eu sei que também lembrarás desse carinho
Que o trato, como se fosses uma criança
Mas serás feliz se pelos seus caminhos
Consegues semear um pouco de esperança

É por teres na alma a pureza dos inocentes
Algo tão raro de se encontrar hoje em dia
É como se o mal não fizesse parte da sua mente
O que deixa mais contagiante esse espocar de alegrias

És daquelas pessoas que parecem nunca crescer
Que conseguem conservar naturalmente a meiguice
E isso é muito bom...Para que sempre você
Consiga driblar da vida todas essas chatices

Que nunca lhe abandone esse espírito infantil
Pois ele lhe empresta uma ingenuidade sem par.
E que sempre haja na sua vida momentos nota mil
E que o sucesso garantido sempre possas alcançar

domingo, 6 de novembro de 2011

Falta De Experiência


Foi mais um sonho que perdurou por muitas luas
E nem mesmo o tempo, dele me fez desistir
E como previsão de projeto, despida, tão nua
Meu sonho te tocou...Sentiste o abraço mas decidiste fugir

Como pudeste permitir a um tão lindo sentimento
Ser ofuscado na tua fria e indiferente covardia
Preferiste viver num mundo de total fingimentos
Matando sem dó a tua maior e mais bela alegria

E este sorriso que hoje ensaias quase sem amor
Numa solidão pelo tempo abrigada e não desgastada
Vives a disfarçar com perfeição essa pungente dor
Que te acompanhou ao longo da tua jornada

Fostes cruel contigo mesmo ao relegar teu maior sonho
Sem pensar te afastaste da tua maior verdade
Te deixaste vencer por um medo sem sentido,mas medonho
Consequência talvez da falta de experiência na tua idade

Tanto Para Lembrar


Categoria:

Fecho os olhos e me concentro na música que estou a ouvir... Roberto Carlos, E por isso estou aqui... Uma buzinada próxima me trás de volta a realidade. E eu sinto como se o tempo tivesse parado. É uma sensação tão forte que tenho a impressão de ouvir minhas filhas gritando numa disputa de voleibol.
Sentada no terraço, olho para onde ficava a rede e parece-me vê-las pulando ao dar uma cortada e sorrio ante a lembrança da parada para o lanche.
O tempo passou... o tempo levou e semeou minhas esperanças... A saudade do que não volta mais chega a doer... Tanto para lembrar e tão pouco para viver.

Fim De Brincadeira


Categoria: Crônica

O barulho da usina em plena moagem parece dar mais vida a essa paisagem desgastada pelo tempo. Ao longe observo os corvos voando em busca de alimento.É sempre assim quando há queimada no canavial.
Dois homens mexendo num poste, me faz lembrar de um acidente ocorrido há mais de vinte anos, quando, por uma fatalidade do destino o rapaz encarregado do setor de elétrica,numa tarde de chuva fina, sobe por engano num poste de alta tensão e morre eletrocutado. Até parece que estou vendo o corre corre daquela fatídica tarde.
Essas lembranças desagradáveis logo é substituída pelo grito de uma criança... Olho e a vejo rodeada pelas demais... O que aconteceu? Um dos moleques foi apedrejar um pássaro, a pedra bateu na árvore e acertou a cabeça de um garoto.
Fim de brincadeira... todos correm para as suas casas ao ouvir um grito de uma mãe enraivecida.
 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios