segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Presente Perfeito


Puxando um pouco pela minha memória
Fragmentos do meu passado chegam até mim
Sorrio,pai... Também tenho contigo uma história
O triste, é que na verdade,nem todos pensam assim

E quando para minha vida vou olhando
Sinto que existem coisas, no tempo, perdidas
E foi o tempo,que da minha vida,foi lhe tirando
Deixando na minha mente, coisas esquecidas

Vez por outra algo me vem a mente
Então percebo, que muitas vezes é você.
São lembranças pai, que hoje infelizmente
De um jeito triste se completa sem eu querer

Eu sei que hoje é o seu aniversário
E eu não vejo como poderei lhe cumprimentar
Talvez sejam coisas do meu refletir diário
Mas este seu silêncio, me impede de lhe falar

E sabemos que para tudo há uma explicação
E se não for muito difícil, eu gostaria
De receber um pouco de prazer no meu coração
E eu gostaria que fosse de você essa alegria

Todavia, sem querer em nada lhe prejudicar
Nem tornar difícil a sua convivência
Gostaria de lembrá-lo dessa filha que você diz amar
Que em nome desse amor,hoje age com certa insistência

Não sei se chegarás a ler tudo isso
Quero apenas respeito para com a minha ansiedade
Voltasses à minha vida, isto foi um bem preciso
Apenas lembrem que hoje eu tenho outra idade

Provavelmente este não seja um presente perfeito
Mas nesse momento nada mais me ocorre
Não tenho como dar a essa história outro jeito
Que não seja pedir-lhe um gesto mais nobre

Nada quero, nem preciso, além do direito
De poder mesmo de longe partilhar
Todos os meus sentimentos, mesmo que imperfeitos
Pois não quero ver a vida outra vez nos separar

E aproveito hoje essa minha decisão
Para desejar-lhe muita saúde, amor e paz
Que recebas de presente muita compreensão
E que de nos separar, o destino não seja capaz



Alto Preço




Dizem que "A voz do povo é a voz de Deus"
Porém eu acho a voz do sangue bem mais forte
Pois eu digo que de todos os conhecimentos meus
Esse, com certeza é o que eu mais me importe

"A voz do povo" só vai surtir mesmo efeito
Se houver de fato uma grande união
Já a voz do sangue, esta não tem jeito
Sempre fala mais alto dentro do coração

Talvez nem entendam desse desabafo o por que
É que na verdade eu apenas estou tentando
Mostrar de alguma forma a todos e a você
Que nada se resolve apenas pensando

Preste Atenção...

Um certo alguém vivia em um mundo
Onde a ansiedade, dele, não fazia parte
E seus sonhos pequenos ou profundos
Tinham em si, a pureza de uma obra de arte

Mas aí, você resolveu dela se reaproximar
Dando-lhe o prazer de novas descobertas
Foi muito bom pra você outra vez a encontrar
E expor os seus sentimentos em grande festa

Esquecendo de uma forma quase cruel
Que ela nunca o procurou por nenhuma razão
E por leviandade ou não,a ela coube o fel
Pois grande tem sido o desgosto em seu coração

Então, pergunto eu nesse momento a você
Esquecendo seus problemas ao menos uma vez
Não achas já haver espinhos nesse florescer?
Nessas consequências, não pensasses, talvez...

Se não havias preparado essa parte da sua vida
Nunca deverias do destino, isso ter desejado
Pois apesar de tudo, não me parece ter sido bendita
Essa reaproximação... Devias com ela,apenas sonhado

Talvez lhe sejam tristes alguns momentos
Por alguma provável, infeliz falta de compreensão
Onde tendes a sufocar seus verdadeiros sentimentos
E as lágrimas de dor que lhe caem no coração

Talvez esse seja o preço que tenhas a pagar
Por mais alguns momentos de insensatez
Mas apesar de tudo ainda vale lhe lembrar
Que isso tudo é consequência de sua embriagues

Talvez nunca tenhas realmente pensado
Na crueldade das suas loucas ações
Como aconteceu nesse momento enlevado
De poder unir mais uma vez vossos corações

Eu sei que foi belo o que ocorreu nesse momento
E mais uma vez estou perguntando, apenas a você
Por que a outra parte tem que passar por sofrimentos?
Será mesmo justo isso você ter que escolher?

Seria bom se o que fizéssemos de errado
Nunca respingasse em pessoas inocentes
Que nunca fôssemos obrigados a ficar calados
Sem que acontecesse algum tipo de incidente

Após décadas, movido talvez pela aflição
Sem perceber se haveria por isso alguém sofrendo
Apenas abraçasses com ansiedade o que trazias no coração
Sem pensar se havia um alguém que não estava querendo

De certa forma, até que seria louvável a sua ação
Se com ela ninguém mais saísse tão machucado
Isso só aconteceu porque não conheces da ilusão
Seu cruel e miserável... "Outro lado"...

Provavelmente hoje tens chorado menos que amanhã
Não soubesses medir a extensão desse seu querer
Nem tão pouco onde lhe levaria esse seu afã
Creio que de momento, pensasses apenas em você

Muitos têm pago por esse sonho tão bonito
Outros se machucaram e choram sem querer
Mas assim mesmo eu também ainda lhe digo
Que o preço mais alto será pago por você

Não quero com isso demonstrar nenhum rancor
Não... Não é isso o que está a acontecer
Apenas acho que a carência desse amor
Foi o que falou muito alto dentro de você

Com certeza tens se sentido de mãos e pés atados
Tenho por certo nunca desejasses tão difícil situação
E eu apenas ouvi do lado de cá um certo comentário
Que encheu de muita tristeza o meu coração

Que fique então para o tempo tudo resolver
Só espero que ele seja um pouco complacente
Com todos... Principalmente com você
Que errou,com os sentimentos de muita gente

Acredito que estás passando por sofrimentos
Mas isso é a consequência dos seus atos
Na vida temos razões para arrependimentos
E estes nunca nos serão de bom grado

Deixemos que o tempo e a distância lhe ajude
Como já aconteceu numa outra ocasião
Só desejo que você ainda desfrute
Todo sentimento reprimido em seu coração

E quem sabe ela consiga por fim
Esquecer cada silêncio ofertado
E talvez vocês possam desfrutar assim
Esse amor, por anos reprimido e calado

Pirra


A Pirra é uma linda gatinha
De um pelo suave e branquinho
Mesmo ela não sendo minha
Tenho por ela muito carinho

Chegou aqui em casa de repente
A princípio não a quis aceitar
Perambulou dois dias,e finalmente
Entrou na minha casa, e pra ficar

As meninas a acham chata e dengosa
Eu nada tenho contra essa pequenina
É inteligente e bastante curiosa
Na verdade,ela é um doce de menina

Esses dias deixei ela ir pra outro lugar
Mesmo com muita pena, eu concordei
Mas não deu pra nós duas aguentar
Ela estranhou muito e eu não acostumei

Foram duas semanas de grande aflição
A coitada não conseguiu se acostumar
E eu fiquei comum aperto no coração
E mandei que a trouxessem para cá

A ela prometi isso não mais acontecer
Pois com certeza, enquanto viva eu for
Comigo ela irá para sempre viver
Pois esse é o nosso pacto de amor

domingo, 30 de janeiro de 2011

Difícil Decisão


Não consigo mais me encontrar
E tudo me parece muito estranho
Estou perdendo o encanto de sonhar
E da vida sempre perco,nunca ganho

Se me busco com certa ousadia
Percebo os desencontros da vida
Em muito pouco consigo ter alegria
É que esta, de mim se encontra perdida

E sempre me perco em loucas tentativas
Tentando até mesmo de mim, me esconder
E são nessas muitas horas fingidas
Que vejo que meu tudo ainda é você

E nada faço para inverter tal situação
Onde acomodei-me sem muito pensar
E é sempre que deixo para o meu coração
A difícil decisão entre o ser e o estar

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

O Melhor Da Minha Vida


Foi apenas por força das circunstâncias
Que fora do meu mundo algum tempo fiquei
Mas percebi dele a grande importância
Por isso hoje eu finalmente voltei

E foram na verdade, dias de muito tédio
E eu sempre perdida, uma saída buscava
Então vi que jamais haveria outro remédio
Senão voltar, percebi enquanto procurava

Esse meu mundo que me é tão precioso
O criei com um firme propósito
Já que ele é tão simples e não ambicioso
Ele é na verdade do amor meu secreto depósito

Depósito também de dores, mágoas e decepções
Também de saudades e bem mais aflição
Nele enterrei todas as minhas desilusões
Mas conservo ainda intacta minha resignação

Nele sepultei todos os fantasmas meus
Que ao longo da vida não consegui rejeitar
Mas nele também está a esperança do adeus
Que ao longo do tempo insistiu em ficar

Nesse mundo de variados sentimentos
Há um que me deixa enlouquecida
Por ele, vivo em constante fingimento
Mas é a ele que devo o melhor da minha vida

Hibernando


Eu tenho na alma uma grande tristeza
Nela repousa uma enorme mágoa
É isso que me tem dado a certeza
Que toda minha dor, só na alma deságua

E nessa tristeza em que me vejo
Percebo que esse é o pior jeito
De querer sufocar os meus desejos
Que parecem explodir dentro do peito

Eu sei que é perdido lamentar
A dor da perca de um grande amor
Mas eu sinto que tudo quanto eu falar
Amenizará também um pouco a minha dor

Muitos são os que se unem com jurar eternas
Mas estas, com o tempo começam a perecer
Porém a minha alma até hoje hiberna
Só esperando finalmente ter de volta você

E enquanto esse dia pra mim não chega
A minha tristeza só tende a crescer
E tudo porque a minha alma só deseja
Nos seus braços pra sempre adormecer

Perguntas Sem Respostas


Hoje sinto o peso da tristeza
Que acomodada à minha alma
Parece repousar sem pressa de sair.
As lágrimas que insistem em cair
Em nada aliviam meu sofrimento...
Ao contrário, tendem a torná-lo
Maior e bem mais sofrido.

Não sei por quanto tempo
Conseguirei resistir a tanta dor,
Pois a dor que o tempo implantou
Em meu ser
Parece crescer a cada momento...

Nunca imaginei ver tanto sofrimento
Nascer de um sentimento
Tão bonito e enriquecedor.
Quantas lágrimas mais ainda verei cair
Até que algo aconteça em minha vida
Que possa trazer um pouco de paz
A esse meu tão desgastado interior?

E tudo isso por ter permitido
A sua entrada na minha vida.
Por que o destino me foi tão cruel?
Se não eras para fazer-me feliz
Por que entrasses na minha vida?
Bem sei que são perguntas
Que nunca terei como respondê-las,
Mas terei como suportá-las apara não ver
Um outro final, mais triste e deprimente

Nosso Passado


Quantas vezes da vida indaguei
O por que de tanta infelicidade
Se porventura foi eu que falhei
Me perdoa, foi erro da mocidade

Mas se este erro eu não o pratiquei
Mesmo assim tenho sido vítima do carrasco
Entenda apenas que eu nunca brinquei
Apenas deixei-me seduzir por esse pecado

E hoje amargo cada um dos detalhes
De todas as loucuras que foi esse amor
E sei que as vezes... Que serão milhares
Sufocarei no meu peito essa grande dor

E essa dor bem maior sempre será
Por eu saber que dela nada conheces
Mas um dia, por certo, ainda descobrirás
E saberás o quanto a minha alma padece

E espero nesse dia ver algo acontecer
Que ao mergulhares em nosso passado, buscando
Tudo aquilo que num rompante,eu ouvia você
Me confessar... Sempre que estavas me amando

Noites Silenciosas


Eu sei que será muito difícil
Um dia eu vir a lhe esquecer
Isso será realmente impossível
Já que viver pra mim é lembrar você

E nas noites silenciosas eu procuro
Lembrar você com mais intensidade
E como sempre me povoa o obscuro
Mesmo sabendo ser você a minha felicidade

Felicidade essa, que num longínquo dia
O destino cruelmente tirou de mim
Levando também a minha alegria
Deixando pra trás um triste fim

Eu sei que nunca aceitarei do destino
Essa amargura que ele me implantou
Se foram meus sonhos... sonhos infindos
Só restando a dor da perda desse amor

Ainda Ouso


Eu quero deixar bem esclarecido
O que nesse momento estou a escrever
Eu sei que muitas coisas na vida
Eu tenho conseguido
Mas infelizmente ainda não aconteceu
De lhe esquecer

E embora isso muito me doa
Afirmo com muita sinceridade
Que podes ficar tranquilo
Pois nessa vida,não mais me magoas
E nem pretendo invadir tua privacidade

Já tenho da vida as muitas mágoas
Hoje só quero o meu mundo pra viver
Não importando por baixo de qual ponte
Vão rolar as muitas águas
Pois nesse meu mundo
Vivo bem Só pensando em você

Então nada de se preocupar comigo
Ou qualquer alguma reação
Que um dia eu possa vir a ter
Pois apenas no recôndito do meu coração
Guardo os melhores segredos de mim e você

Portanto me esqueçam e meu meu nome silencia
Nada quero de você nessa vida
Deixem-me só com a minha agonia
Pois só em sonhos e pensamentos
Eu ainda ouso ser atrevida...
Mesmo que na vida eu pouco tenha conseguido
Já que nem mesmo tenho afugentado
Minhas falsas alegrias

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Forma Singular


Por que insisto em te lembrar
Se nada de diferente acontece?
É porque esta é a forma singular
De dar vida ao que não se esquece

Pois sempre que estou te lembrando
Vou sentindo-o cada vez mais perto
E mesmo que isso em nada vá mudando
É na verdade o que ainda mais quero

Lembrar-te me faz reviver em detalhes
O que sempre tenho buscado não esquecer
Eu o tenho gravado na alma como um entalhe
Embora seja um nome que muito me faz sofrer

E não importa quão grande seja o sofrimento
Que as tuas lembranças possam provocar
Pois bem mais doloroso seria o esquecimento
De uma dor que na verdade me ajuda a continuar

Meus Tempos


De todos vocês eu tenho me lembrado
Meu presente,
Meu passado,
Meu ex futuro tão descontente...
Não importa onde tenham ficado
Meus ex destinos tão complicados

Todos os tempos por mim passaram
De todos, boas e más recordações
Ficaram
Mas nenhum me foi
Tão apaixonado
Quanto você
Meu quase futuro
Hoje tão passado...

Busco nas entrelinhas da vida
Cada página, rascunhada
Ou mal vivida
Mas todas na sua importância
Deram alento
A minha alma cansada
Não importando a distância

Hoje,
Mergulhada em minhas reminiscências
Procuro até com certa paciência
Vida,
Em cada hora perdida
Pois quando não as tive preenchida
Senti como eram frias e sem sentido
Essa minha vida quase sempre tão vazia

Angustiosos Anos


O que um dia descobri, doeu em mim
Descobri que eras parte de um passado
De uma história que nunca teve fim
Um romance, onde nada foi por acaso

Enquanto o tempo para mim ia passando
Neles um dia eu pude finalmente perceber
Que não adiantava eu continuar lutando
Numa ânsia incontida de ter outra vez você

E foram longos e angustiosos anos
Onde as lutas em nada me ajudaram
Pois eu nunca venci os muitos prantos
Que indiferentes nunca me questionaram

Mas hoje... Olhando para esse tempo
Que eu nunca fui capaz de esquecer
Sinto que sucumbi ante os tormentos
Que me afligia nessa ausência de você

Talvez um dia eu ainda consiga por um fim
Resistindo a essa dor e assim a vencer
Embora eu saiba que nunca findará pra mim
Se outra vez eu não puder ter finalmente você

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Acordar Com Você


Uma amarga e profunda nostalgia
Envolve de repente todo o meu ser
Perdi qualquer vestígio de alegria
E agarrei-me as lembranças de você

E infeliz percebo quanto tempo já passou
Desde aquela última vez em que eu o vi
Mas dentro de mim, até hoje nada mudou
Mas isso é algo que eu sempre pressenti

E assim a cada recordação sua que me vem
São mais motivos de alegrias que de tristezas
É que eu sinto que amor nessa vida só tem
Quem nunca teve para com a vida defesas

Também sei que não adianta apenas lamentar
O que no tempo, um dia para mim se foi
E muito embora eu deixe a vida me levar
Gostaria muito de poder reviver nós dois

Eu queria acordar com você me olhando
Como se eu fosse o seu bem mais precioso
Ou novamente poder ficar lhe observando
O meu sonho mais perfeito e desejoso

Sem Sonhar


Como seria se vivêssemos sem sonhar
Já que a minha esperança nisso consiste
Vivo em sonhos o que nunca pude realizar
Pois só em sonhos a esperança persiste

Penso sempre que estás outra vez a chegar
E a sua respiração ao meu lado estou a ouvir
E o vejo ansioso quando vens pra me abraçar
E tudo isso só em sonhos posso ver e sentir

E dia após dia minha esperança vejo se perder
E ella também entende o que eu vivo a passar
e se não fosse essa vontade de ainda lhe ter
Por certo eu já teria desistido de lhe esperar

E muitas vezes meus pensamentos em louca agonia
Me fez delirar entre a ausência do amor e do prazer
E sinto fugindo de mim qualquer vestígio de alegria
Sempre que percebo estar mais distante de mim, você

Apenas Com Você


Se o meu maior sentimento eu não pude viver
Que ao menos eu o consiga aqui imortalizar
Pois quem sabe um dia meus versos os possas ler
E compreenderás como sofri por um dia lhe amar

E nesses versos que componho com certa emoção
Muitas vezes choro quando tento relê-los
Até sinto o gotejar doloroso em meu coração
E não tenho ninguém que os possa colhê-los

E em meio a essa dor que quase nunca é manifesta
Sufoco todas as dores e meus tristes tormentos
E sinto quando a vida com benevolência me empresta
Um lenço imaginário para aplacar meus lamentos

E continuo com uma certa mágoa e resignação
Diminuir nos versos minhas saudades e meus ais
Mas eu também sinto que meu ingênuo coração
Lamenta muito por tudo isso e até um pouco mais

E vou prosseguindo entre esperançosa e apreensiva
Será que algum dia terei quem amenize meu sofrer?
Por certo não será nenhum ombro ou mesmo voz amiga
Pois esse sofrimento só terminará se for com você

Um Dia


Eu queria muito um dia poder dizer
Que finalmente estou me sentindo feliz
Mas eu sei que isso não irá acontecer
Mesmo sendo o que na vida eu muito quis

Mas se acaso um dia isso chegar a acontecer
A realização desse sonho por mim tão buscado
Que seria ter diante de mim simplesmente você
E sem que eu sentisse estar cometendo pecado

Aí,talvez eu pudesse finalmente por fim afirmar
Que o meu maior desejo estaria sendo realizado
E para isso, bastaria sem receios poder lhe olhar
E ao fechar os olhos sentir que havias me tocado

Isto seria um momento de perfeita realização
Sentir esse seu toque mágico bem suavemente
Deixando essa carícia tocar de leve meu coração
E por esse meu sonho ser arrebatada completamente

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Anos Perdidos


Um som ao longe desperta meus sentidos
E os meus sentimentos parecem se debater
Pois eles entendem que os anos perdidos
Aproximou muito mais minha alma de você

E os meus pensamentos as vezes desordenados
Sempre procurando motivos para lhe procurar
Mas esbarram em todos os gritos calados
E também nessa vontade louca de lhe encontrar

E vou sempre tentando entender essa razão
Que está sempre querendo me questionar
É só porque não entende que a um coração
Não adianta tentar faze-lo se calar

E um novo som ao longe me lembra também
Que um destino nunca se deve querer mudar
Pois existe algo forte e que vai mais além
Porém só muito tarde o conseguimos interpretar

Mas para quem está sempre a esperar
Existem virtudes que nunca são bem-vindas
Mas quem sabe um dia consigamos enxergar
Que nem todas as esperanças são infindas

Meus Pensamentos


Na sombra daquele arvoredo
Descansam todos os sonhos meus
Que vão dos meus tempos de brinquedos
Até os meus muitos pensamentos em Deus

Pelas sombras vejo cada forma
Que um dia meu pensamento formou
Da vida fui descobrindo as muitas normas
Que para se viver o homem um dia criou

Mas nos galhos daquele arvoredo
Também guardo bem mais do que penso
Neles dorme placidamente meus segredos
A cada novo personagem dos meus intentos

E quando a noite chega nem tão silenciosa
Ouço os insetos comandando o anoitecer
E a natureza como sempre caprichosa
Se mostra para mim, como penso ela ser

E é a vez da mãe natureza se impor
E nos mostrar o que nem sempre aceitamos
E somos apenas parte dessa criação de amor
Mas que nunca para admirar nós paramos

Falta tempo para o homem contemplar
A perfeição da qual um dia fomos criados
Mas é preciso que a criatura sinta o gotejar
Do amor de Deus, mesmo quando está calado

De Sonho Em Sonho


Todas as vezes que me pego sonhando
Percebo o quanto é fácil se enganar
Pois de sonho em sonho vou ganhando
Menos motivos para querer acordar

E quantas vezes me vi perdendo
Da razão, a minha própria razão
E foi aí que eu pude ir conhecendo
As amarguras guardadas em meu coração

E numa monotonia sempre sem graça
Pela nostalgia me deixo envolver
E como se fosse por pura pirraça
Nas sombras, escondido,eu vejo você

E numa melancolia quase traiçoeira
Perdida...Me envolvo num sonho qualquer
E vejo os reflexos da minha alma faceira
Como a zombar dos meus sonhos de mulher

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Mais Cartas


Dezembro de 1978

Oi .........

Hoje me sinto muito cansada... Sinto um peso enorme por cima
dos meus ombros, e estes me cansam bem mais que o peso que trago
dentro de mim,e que as vezes me conforta saber da sua existência.
Uma estranha sensação parece esmagar o meu peito... Fecho os olhos
e sinto algo sobre meu corpo... Uma presença imaginária parece
tomar forma diante de mim...Ouço as batidas do meu coração que
acelerado parece querer explodir dentro de mim... Uma voz querida
se fez ouvir... Passos largos e apressados tomaram conta de todo
ambiente.Sinto como se houvesse labaredas crepitando dentro do meu
peito.
De repente um silêncio frio invadiu o recinto. Meu coração não
mais se fez ouvir, este emudecera diante da cruel realidade. Já não
há passos a serem ouvidos, nem sensações a serem sentidas, tudo se
perdeu no vazio das esperanças perdidas, dos sonhos não realizados.
E mais uma vez choro diante da minha amarga e triste certeza. Nada
há que possa induzir-me a um firme propósito, a uma esperança por
mais tênue que esta seja... Tudo se esvai diante dessa implacável
sede de você.


..................................................................



Fevereiro de 1979

Querido,

Este final de mês tem chovido um pouco... Fecho os olhos e parece-me
senti-lo ao meu lado, cuidando da nossa menina. Eu sei que você está
pra chegar, uma ansiedade misturada com angústia me domina.
Perto, um choro inquieto me desperta desses devaneios, as vezes sem
nenhum sentido.
Por uns instantes tomo a rotina desses meus dias lentos e quase
sempre entristecidos pela falta que você me faz. Nesse momento mais
uma vez sou tomada pelas lembranças de você, de nós dois... Tantos
momentos perdidos por causa de bobagens... Mergulho em tudo quanto
já vivemos, e sinto o acelerar do meu coração... Este parece ter se
tornado escravo das tuas frases de amor, dos teus toques flamejantes
de paixão.
Uma lágrima não convidada parece trazer-me de volta à vida... É a
saudade que insiste em fazer morada dentro de mim, ela parece não
entender que é ela na verdade o grande problema da minha vida,é ela
quem lhe traz para as minhas lembranças, sempre a espera do que está
por vir. Mas eu sei que irás chegar, carinhosamente irás cuidar de
nós duas, até que chegue o momento da sua partida, e esta chegará
como sempre... Inevitável...
Mas por enquanto, saber que ainda nos amas apesar de tantos
desencontros, basta para acalmar esse meu incompreendido coração.
Só não parta deixando sobre mim esse olhar de volúpia que parece nos
arrancar da terra, pois faz nossa imaginação enlouquecer.


...................................................................



Maio de 1979

Oi.......

Outra vez mais sinto a alma dilacerada pela saudade, gritar de dor,
numa agoniante espera de um sonho que há algum tempo parece que acabou.
Ouço gritos de revolta e brados de agonia pela incomparável dor da
solidão. Quanto pranto derramado pela ausência do seu eu em minha
vida... Quantas lágrimas vertidas, diante da impotência dos meus
sentimentos diante de um sofrimento que parece não ter fim. São noites
de insônia e dias de tristes e incertezas.
Nunca imaginarás quantas lágrimas foram derramadas, quantas noites
perdidas, e quanto sofrimento causado pela sua ausência do meu leito.
Os gritos de dor se misturam as muitas lágrimas que tenho derramado
pela saudade mesquinha que vive a me torturar, e tudo poderia ser
diferente se não fosses tão inconstante... Se realmente viesses para
ficar... Se deixasses de apenas vir para incendiar de desejos o meu
coração já tão marcado pelas suas idas e vindas.
O tempo lhe tem sido fiel... A distância tem sido cruel para com o meu
amor...Mas eu sei que todo este sofrimento tem me ajudado de certa forma
a suportar as minhas noites de angústias sem fim, onde o meu travesseiro
acolhe penalizado toda a minha dor.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Minhas Cartas



Estas são algumas cartas
que encontrei por acaso...
Guardadas entre tantas coisas de mim e você...

Dezembro de 1979

Hoje eu acordei e vi que o relógio estava parado... Fui
até a janela e pareceu-me ouvir risos... Risos estes que
se distanciaram a medida que eu começava a pensar em você.
Lembrei-me de cada palavra e de cada toque que eu ouvia e
sentia a cada amanhecer...
Uma lufada, tenta varrer da minha mente as lembranças
que me chegam sem pressa. Ouço nesse momento o barulho do
chuveiro e sinto um fremir percorrer todo o meu corpo,
exatamente como ocorria sempre que brincávamos no chuveiro...
Nunca mais ouvi aquele riso cristalino que cativou-me durante
nossa permanência juntos.
Olhos fechados... Ainda sinto o seu toque carinhoso e tantas
vezes enlouquecido pelo desejo.
Sinto nesse momento um roçar suave sobre a minha pele,é a
brisa da manhã que insistente procura me despertar desses
angustiados momentos tão cheios de amor...Tão cheios de dor...


..............................................................



Dezembro de 1979

Querido,
O dia amanheceu ensolarado!... Não tem chovido esses dias...
O verão parece mais forte que das vezes anteriores. Os dias têm
sido lentos e as tardes sempre modorrentas e com poucas chances
de um anoitecer feliz...
Cada dia parece ser uma cópia do dia anterior, sempre a mesma
monotonia, o mesmo tédio.
Hoje, distante de tudo quanto sonhei, busco nas lembranças um
pouco do muito que vivemos lado a lado.
O sol escaldante parece ferir os meus olhos tão tristonhos e
quase sem brilho, pois a opacidade foi o que restou num olhar
que tantas vezes fora a ousadia das nossas noites profanas e
tão enlouquecedoras.
Mergulho a alma nesse dia que já se inicia de forma triste
e solitária... Este será mais um dia de muitas lembranças e
poucas alegrias... Muitas lágrimas e poucos sorrisos... Muitas
saudades e poucos arrependimentos... Muito vazio e poucas
esperanças... Este será mais um dia como tantos outros sem você.


.................................................................



Março de 1980

Meu Querido,

A madrugada foi fria e cruel... A sua ausência me transporta
para outros tempos, onde tudo era bonito e perfeito...Hoje porém
a solidão tem sido presença constante nesses momentos de angústia
sem fim.
Sobrevivendo das recordações e de fracas esperanças, contento-me
em buscá-lo em cada despertar ou mesmo durante minha insônia, nas
madrugadas indiferentes ao meu sofrimento já tão costumeiro.
Minhas mãos cansadas de tocar o nada parecem implorar por um corpo,
Seu corpo, ainda tão distante de mim... Bem sei que muitas vezes
mais, estarei a buscá-lo... A esperá-lo, como sempre o fiz. Nunca
mais tive prazer ou alegria, estes se perderam na imensidão dessa
sua ausência tão doída.Continuarei buscando-o no silêncio da noite
ou na frialdade das madrugadas, tão solitárias quanto eu.
Mas eu sei que um dia haverá, em que terei saciado todo o meu desejo
e recuperado a minha sanidade, ao ver transformado em realidade esse
meu sonho desvairador.


...........................................................


Abril de 1980

Oi!

Esta tarde, ao observar o mar, lembrei de um por-do-sol que eu nunca
consegui esquecer... Onde abraçados trocamos juras de amor...
Parece que estou a nos ver... Você correndo comigo nos braços, e
quando exausto, nos deixamos ficar deitados na areia a nos observar.
Mas o tempo passou e com ele essa história que teve seus momentos de
loucura, prazer e ilusão.
Hoje, o crepúsculo já não tem a mesma beleza, embora muitas vezes eu
o ache com uma tonalidade mais forte, mais vívida e mais triste ...
Pois ele tem a cor da saudade e o gosto da solidão.
O barulho do mar me parece gemidos de angústia, a brisa que sopra
tem o cheiro de você e esse mesmo vento parece invadir o meu íntimo,
lembrando coisas que preciso esquecer.
A solidão que perdura em meu ser,me angustia, pois me mostra o quanto
tenho sentido e sofrido essa sua ausência.
Nunca mais vivi... Nunca
mais senti o gosto pela vida... Nunca mais
senti você...
 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios