quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Dor Imensa


Eu tenho uma tristeza tão grande... Tão imensa
Que chega a ser maior
que a própria dor que a causou
E tenho por certo que mediante tudo
as vezes até penso
Ter sido algo banal e que tudo já passou

Mas é inútil, pois esta ferida
que só tende a crescer
Ninguém nunca haverá de compreende-la
também
E eu não acredito que não percebas
que foi você
O causador dessa angústia que vai
da dor, mais além

Eu que nunca achei dificuldades
em perdoar
Hoje percebo que nem sempre
as coisas são assim
Talvez esteja longe de mim
o verdadeiro sentido de amar
E que seja só por isso que há
tanta dor em mim

Espero que isso acabe algum dia
E que confiança eu volte a ter
Aí, quem sabe renasça em mim
a verdadeira alegria
E eu consiga de outra forma
sentir você

domingo, 26 de dezembro de 2010

Vazio Profundo


Quantas vezes em meus tristes lamentos
Eu consigo disfarçar as minhas mágoas
Procurando esquecer os meus tormentos
Mesmo tendo os meus olhos rasos d'água

E uma sensação de vazio profundo
Me envolve parecendo me asfixiar
Mais triste é saber que nesse mundo
Nada acontece que possa me alegrar

E entre lágrimas e as vezes risos
Chorando ou zombando da minha dor
Eu sinto que na verdade o que preciso
É vencer a ausência desse perdido amor

Mas talvez eu consiga preencher um dia
Esse vazio que se fez grande em meu viver
E talvez eu consiga sentir outra vez alegria
Se esse vazio eu tiver preenchido por você

Livremente


Quantas vezes eu já senti
O suave perfume da saudade
Por tudo quanto com você vivi
Busco-o em minhas verdades

E quase que sem nenhuma razão
Sinto o corpo fremindo de desejos
E nesse momento percebo a emoção
Sufocando todos os meus medos

E uma lágrima cai pelo meu rosto
E a sinto livremente escorrer
E sinto ressuscitar o que julguei morto
esse meu enlouquecido desejo por você

E indiferente ao tempo, vejo amanhecer
E mais uma noite estive a lhe esperar
e tenho por certo que assim será,até você
Um dia surgir à minha frente e me falar

Mas acredito que serás tomado pela emoção
E nada do que pensasses irás me dizer
E eu como que encantada, sentirei no coração
A grande chance de amar outra vez você

Ultrajante


Que saudades hoje em dia eu tenho
Dos belos tempos de outrora
E nesse lamento eu aqui venho
Expor meus sentimentos de agora

Hoje prevalece forte a maldade
Pouco vemos de atos solidários
E isso nada tem a ver com a idade
Pois o mal raramente é solitário

À terceira idade só restam os lamentos
E as lágrimas que vez por outra nos surge
Se perdeu no tempo todo o encantamento
Hoje parece ser ultrajante a virtude

Na minha boa época de adolescência
Era forte o sentimento de amor e respeito
Também era raro a prática da desobediência
E desfrutávamos do melhor da vida com jeito

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Penso



As vezes penso que estou só
Embriagada de desejos e solidão
Mas eu sei que tudo seria muito pior
se não existisse saudades em meu coração

Bem sei que vivemos uma vez apenas
E que cabe a cada um tentar ser feliz
Mas para mim a dor nunca foi amena
Mesmo que para isso acontecer nada fiz

Na verdade, fazer eu bem que tentei
Mas foi em vão, hoje, confesso
E eu lembro até onde falhei
Foi ao tentar com o destino um protesto

E fui deixando que tudo acontecesse assim
Da forma como na minha vida tudo ocorreu
Tudo contribuiu para chegar a esse fim
Mas foi inútil, já que esse amor nunca morreu

Me Perdi



Fiquei perdida durante alguns dias
Pois não conseguia pensar em você
Eras sem dúvida a minha falsa alegria
O meu tudo que eu parecia esquecer

Agora, de repente, tudo parece acontecer
Bem sei que sinto não ser do mesmo jeito
Mesmo tendo vivo meus sentimentos por você
Estes já não me parecem mais tão perfeitos

Mas na verdade pouco importa para mim
Na verdade não importa nenhum pouco
Pois não existe mais o medo de ver o fim
Desse amor que as vezes me parece louco

E vibro diante dessa esperança viva
De toda essa loucura que insisto em reviver
E não há outra forma de viver que eu persiga
Que não seja lembrando tudo de você

Tênue Esperança


Eis que eu estou de volta finalmente
E com uma louca vontade de escrever
E até devo confessar muito calmamente
Que tudo tentei para não lhe esquecer

E estou me sentindo como uma criança
Ao sentir a brisa que entra pela janela
E sinto reacender uma tênue esperança
De conseguir escrever as frases mais belas

E em balbúrdia sinto os meus pensamentos
Me impingindo com lascívia, sensações
E esqueço por completo todos meus tormentos
E vibro diante dessas saudosas emoções

E meu corpo sente a aproximação da sua boca
E as lembranças parecem me enlouquecer
E ouço um gemido e a sua voz quase rouca
E nesse momento nos fundimos num só, eu e você

Crescente Sentimentos


Hoje o dia amanhceu até bastante nublado
E sem demora eu pude ver uma chuva copiosa cair
Talvez seja a natureza que chora o que tenho chorado
Quando senti as tuas lembranças de mim se esvair

Foram tantas noites tristes e amarguradas
Que no meu desespero não conseguia entender
Mas eu sentia que esses muitos momentos calados
Não levaria pra sempre as lembranças de você

Nesse instante sinto uma certa paz a mim chegando
Ela sabe que não há nenhuma outra forma d'eu viver
Que não seja a cada momento poder ficar relembrando
Cada uma das loucuras que eu pude desfrutar com você

E agora são sete horas e vinte minutos dessa manhã
Dia quatro desse esperançoso mes de dezembro
Que eu finalmente posso dizer num agradável afã
Que minha alma continua aconchegada aos teus braços

Nunca imaginarás quão grande era o meu desgosto
De não conseguir pensar nas coisas que me aconteceram
E senti um crescente sentimento, as vezes quase louco
Pois eu não aceitava que no tempo meus sonhos se perderam

Desejo Insólito


Quantas vezes estive aflita e angustiada
Por achar que tudo estava para mim perdido
Mas quando me falaram de você tão familiarizada
Senti renascer o desejo insólito pelo esquecido

E uma voz tão afoita e bem mais que atrevida
Me falou sem segredar o que talvez pudesses
E me desfilaram vozes e cenas tão queridas
Mesmo que recordar no momento eu não quisesse

E lancei-me ávida as muitas lembranças
Que durante dias permaneceram adormecidas
E senti brotar um novo fio de esperança
Por cada uma daquelas emoções vividas

E voltei a buscar no tempo e no espaço
Cada pormenor que me trouxesse vida
E senti mais uma vez o calor dos teus braços
E revivi cada sensação que me foi permitida

E vou calmamente tentando libertar
Na forma mais pura que conheço, que é escrever
Pois eu sei que novamente voltarei a amar
Toda lembrança preciosa que eu tenho de você

Velhas Emoções


Parece que essa minha nova fase acabou
É que hoje senti um velho sentimento renascer
E assim pouco durou o esquecer desse meu amor
É que novamente senti bem perto de mim, você

E de repente velhas emoções ressurgiram
Nem parece que haviam se ausentado de mim
E se retornaram foi porque perceberam
Não ter como por nessa história um fim

Aguardarei ansiosa pelas madrugadas que virão
Pois sinto que esse despertar será como sempre
Não há como apagar tudo isso do meu coração
Pois é quando escrevo que eu me sinto contente

E sinto que não adianta ao destino questionar
Pois isso é algo muito forte para assim destruir
Nunca é tarde para na vida algumas coisas retomar
É só dar uma chance do coração finalmente decidir
 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios